“Gipsofila”, de Margarida Leitão, venceu o prémio de Melhor Filme do Festival Transcinema, que terminou sábado, em Lima, no Peru, foi hoje divulgado pela Portugal Film, que distribui a obra.

O filme estreou-se na competição nacional do Fesival IndieLisboa deste ano, e recebeu, recentemente, o Prémio Especial do Júri para Melhor Filme da Competição Internacional de Documentários, no Festival de Turim, em Itália, e o de Melhor Documentário, no Festival Caminhos do Cinema Português, em Coimbra.

O júri do Festival Transcinema - Festival Internacional de Não-Ficção, foi composto pela realizadora e editora peruana Fabiola Sialer e pelos realizadores Julio Hernández Cordón, da Guatemala, e Héctor Gálvez, do Peru.

Segundo a sinopse divulgada pela produtora, “Gipsofila” é “o espaço pessoal de uma avó, visto pela câmara da sua neta, um ensaio sobre a sua memória através das palavras hesitantes de duas pessoas que se amam, que se filmam e que partilham o mesmo sangue”.

“Gipsofila” é “também a solidão de uma realizadora que, das ruas exteriores onde a vida se vislumbra ao longe, encontra, em escuros corredores, um lugar para criar o seu cinema e filmar uma herança que talvez se julgasse perdida: as histórias que deram origem à sua família e que alimentam, hoje, o seu olhar e o seu desejo de futuro".