A comédia "Love & Friendship", de Whit Stillman, abre, esta quarta-feira, o 13.º Festival de Cinema Independente IndieLisboa, num ano que contará com uma retrospetiva dedicada a Paul Verhoeven e a estreia de muita produção inédita portuguesa.

Whit Stillman, que teve direito a destaque em 2015, no IndieLisboa, tem honras de abertura este ano, no cinema São Jorge, com o mais recente filme, a partir do romance não publicado de Jane Austen, "Lady Susan", com Kate Beckinsale como protagonista.

À hora de abertura do IndieLisboa, na Culturgest, será estreado "Desde Allá", filme que, em 2015, valeu ao venezuelano Lorenzo Vigas o Leão de Ouro no festival de Veneza, e, na Cinemateca, é recordado "Robocop", do holandês Paul Verhoeven.

Até 01 de maio, o IndieLisboa tem para mostrar 289 filmes, que fazem "um retrato do ano cinematográfico independente", como refere a direção, com particular ênfase na produção portuguesa, presente com cerca de 40 filmes.

Paul Verhoeven será um dos homenageados na secção "Herói Independente", na qual haverá hipótese de conhecer, de forma abrangente, uma filmografia para lá dos conhecidos "Instinto fatal" ou "Robocop".

Outro "herói independente", e que estará presente no IndieLisboa, será o ator e realizador francês Vincent Macaigne. De regresso estará também o cineasta Jean-Gabriel Périot, em foco na secção "Silvestre".

Entre as 40 produções portuguesas selecionadas estão, por exemplo, "Treblinka", de Sérgio Tréfaut, "Cartas de guerra", de Ivo M. Ferreira, a exibir no dia 25 de Abril, e "O cinema, Manoel de Oliveira e eu", de João Botelho.

A competição internacional conta com vários filmes portugueses: “Olmo e a gaivota”, de Petra Costa e Lea Glob, “Balada de um batráquio”, de Leonor Teles, “Ascensão”, de Pedro Peralta, “Viktoria”, de Mónica Lima, e “Chatear-me-ia morrer tão joveeeeem…”, animação de Filipe Abranches.

Na secção “Indie Music”, haverá filmes sobre Janis Joplin, Sharon Jones, sobre os portugueses Parkinsons e sobre a música eletrónica portuguesa, em "Tecla tónica", de Eduardo Morais.

À programação do IndieLisboa foi adicionada a antestreia de "Love", filme erótico em 3D, do argentino Gaspar Noé, que só se estreará em sala, em junho.

O IndieLisboa terminará com "L’avenir", que valeu este ano a Mia Hansen-Love o prémio de melhor realização, no Festival de Berlim.