Filmes de Michael Haneke, Yorgos Lanthimos e Sofia Coppola integram em maio a competição do 70.º Festival de Cinema de Cannes, em França. A seleção, onde não estão nomes portugueses, conta ainda com produções da Netflix.

A programação do festival - marcado de 17 a 28 de maio - foi anunciada esta quinta-feira pelo delegado-geral, Thierry Frémaux, que sublinhou a diversidade de filmes selecionados, para uma edição que celebra 70 anos.

A direção não deixou de referir que, perante o número crescente de atentados na Europa, o festival de Cannes "é uma referência em matéria de segurança".

Em competição pela Palma de Ouro estarão, sobretudo, realizadores que já estiveram no festival, como o austríaco Michael Haneke, duplamente distinguido com o prémio máximo em 2009 e 2012, que estreará agora "Happy End", um drama passado em Calais, com Isabelle Huppert e Jean-Louis Trintignant, dois atores que já figuraram em “Amor” (2012).

Também foi selecionado "Le redoutable", de Michel Hananavicius, com Louis Garrel no papel de Jean-Luc Godard, "Good time", dos irmãos Benny e Josh Safdie, e "Wonderstruck", de Todd Haynes, que junta Julianne Moore e Michelle Williams.

O grego Yorgos Lanthimos estreará "The Killing of a Sacred Deer", com Colin Farrell e Nicole Kidman, dois atores que entram também em "The Beguiled", de Sofia Coppola, ambos escolhidos para a competição.

Destaque ainda para a inclusão de dois filmes produzidos pela Netflix: "Okja", de Joon-Ho Bong, protagonizado por Tilda Swinton e Jake Gyllenhaal, e "The Meyerowitz Stories", de Noah Baumbach.

O filme de abertura, fora de competição, cabe a “Les fantômes d’Ismaël”, de Arnaud Desplechin, enquanto "Barbara", de Mathieu Amalric, abre a secção "Un Certain Regard".

Frémaux sublinhou ainda a presença de mais de uma dezena de realizadoras e a inclusão de várias primeiras obras, como "Après la guerre", de Annarita Zambrano, "Out", de Gyorgy Kristof, e "La novia del desierto", de Cecilia Atan e Valeria Pivato.

Foram programadas várias sessões especiais, como a exibição póstuma de "24 Frames", de Abbas Kiarostami, a apresentação de "Twin Peaks", de David Lynch, e "Come Swim", realizado pela atriz Kristen Stewart.

A estes juntam-se ainda "An inconvenient sequel", documentário de Bonni Cohen e Jon Shenk, com o político norte-americano Al Gore, "Sea Sorrow", um filme que a atriz Vanessa Redgrave fez sobre refugiados, "How to talk with girls at parties", de John Cameron Mitchell, a partir de uma obra de Neil Gainman, e "Visages, Villages", que junta a realizadora Agnès Varda ao artista visual JR.

Pela primeira vez, será exibido um filme de realidade virtual, com "Carne y Arena", uma curta-metragem de Alejandro González Iñárritu.

O júri será presidido pelo realizador espanhol Pedro Almodóvar.

Resta ainda anunciar a programação da Semana da Crítica e da Quinzena dos Realizadores, dois dos eventos paralelos do Festival de Cannes.

A competição de curtas-metragens, com o júri presidido por Cristian Mungiu, foi anunciada na quarta-feira, com a presença de nove filmes.