A série "The Handmaid's Tale" fez história este domingo, nos prémios Emmy, ao tornar-se na primeira produção de um serviço de streaming, o Hulu, a levar para casa o prémio mais desejado da cerimónia: o de Melhor Série Dramática. A série foi a grande vencedora da cerimónia de entrega dos Emmy, que teve como anfitrião o humorista Stephen Colbert. 

A 69.ª edição dos Emmy, que decorreu este domingo em Los Angeles, teve a atualidade política como grande pano de fundo. Além das referências humorísticas de Stephen Colbert , um momento surpreendente marcou o evento: o antigo porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, surgiu em palco, logo durante o monólogo inicial de Colbert. Spicer, que tantas vezes foi caricaturado por Melissa McCarthy no programa “Saturday Night Live", afirmou:

Esta será a maior audiência de sempre a ver os Emmys, ponto final, ao vivo e em todo o mundo”, uma referência à polémica em torno do número de pessoas que assistiu à tomada de posse de Trump.

De resto, o grande vencedor da cerimónia, "The Handmaid's Tale", é uma série que encerra em si mesma uma profunda carga política. Baseada no romance distópico de Margaret Atwood com o mesmo nome, em "The Handmaid's Tale" os Estados Unidos são transformados em Gilead, um regime totalitário, dominado por líderes conservadores e em que as mulheres perderam todos os direitos. 

Além do prémio mais desejado da noite, o de Melhor Série Dramática, "The Handmaid's Tale" deu, por fim, a Elisabeth Moss o Emmy de Melhor Atriz de uma Série Dramática. Moss já tinha sido seis vezes nomeada para este prémio por "Mad Men", sem nunca o ter arrebatado. 

A série do serviço de streaming Hulu conquistou ainda os prémios de Melhor Atriz Secundária em Série Dramática (Ann Dowd), Melhor Atriz Convidada em Série Dramática (Alexis Bledel), Melhor Guião em Série Dramática (Bruce Miller) e Melhor Realização em Série Dramática (Reed Morano).

"Big Little Lies", outro dos grandes vencedores da noite, arrecadou cinco prémios, incluindo o de Melhor Mini-Série e permitiu à HBO preencher o "vazio" deixado pela ausência de Game of Thrones. É que a última temporada de Game of Thrones, a série mais nomeada de sempre para os Emmy, estreou mais tarde do que o habitual e já não integrou a corrida aos prémios.

Já na categoria de Melhor Série de Comédia, nada de novo pois "Veep" voltou a dominar os prémios. Conquistou o prémio de Melhor Série de Comédia pela terceira vez consecutiva e fez com que Julia Louis-Dreyfus se tornasse na atriz com mais Emmys de sempre, empatada com Cloris Leachman. Julia Louis-Dreyfus ganhou o sexto Emmy pelo seu papel em "Veep", aos quais se somam os dois que conquistou com "Seinfeld".

Outro dos vencedores da noite foi o histórico "Saturday Night Live", ganhou uma nova vida com a presidência Trump - novamente a política em destaque. O programa de humor transformou a sua popularidade na televisão e na Internet em oito prémios.

 

Veja a lista dos principais vencedores:

Melhor série drama:  The Handmaid's Tale;

Melhor ator em série drama: Sterling K Brown (This Is Us);

Melhor atriz em série drama: Elisabeth Moss (The Handmaid’s Tale);

Melhor mini-série: Big Little Lies;

Melhor telefilme: Black Mirror, "San Junipero";

Melhor ator em mini-série ou telefilme: Riz Ahmed (The Night Of);

Melhor atriz em mini-série ou telefilme: Nicole Kidman (Big Little Lies);

Melhor série de comédia: Veep;

Melhor ator em série de comédia: Donald Glover (Atlanta);

Melhor atriz em série de comédia: Julia Louis-Dreyfus (Veep);

Melhor talk-show: Last Week Tonight com John Oliver