A atriz brasileira Maria Della Costa, que na década de 70 participou em novelas da TV Globo como «Te Contei» e «Estúpido Cupido», morreu no sábado, aos 89 anos, de edema pulmonar agudo, noticiam este domingo vários jornais brasileiros.

A atriz gaúcha, nascida em Flores da Cunha, interior do Rio Grande do Sul, estava internada num hospital do Rio de Janeiro.

Na década de 40, foi para o Rio de Janeiro, onde participou em desfiles do «Golden Room» do Copacabana Palace, tendo sido modelo e conquistado o título de primeira manequim do país. Em 1944, estreou-se no teatro a convite de Bibi Ferreira.

Uma década depois, a atriz inaugurou a própria casa de espetáculos, o Teatro Maria Della Costa em São Paulo, lançando atores como Fernanda Montenegro, Sérgio Britto e Ney Latorraca.

Ao serviço da TV Tupi fez a novela «Beto Rockfeller» e na TV Globo participou em duas novelas na década de 70: «Te Contei» e «Estúpido Cupido», onde era Olga, mãe da personagem Maria Teresa vivida por Françoise Fourton.

Marisa Helena Serôdio, Professora Catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, especialista em Estudos de Teatro e Literatura e amiga da falecida, referiu à agência Lusa que a primeira passagem de Maria Della Costa por Portugal ocorreu em 1956 com a peça «Moral em Concordata», que passou pela censura e foi objeto de vários «cortes».

Depois de outras presenças em 1957 e 1959, Maria Della Costa voltou a Portugal em 1960, numa digressão europeia, tendo conseguido levar à cena, no Teatro Capitólio, em Lisboa, a peça «A Alma Boa de Setsuan», de Bertold Brecht, com casa cheia e elementos da PIDE a vigiar o espetáculo, que atraiu um «público mais à esquerda e estudantes de Coimbra».

Maria Helena Serôdio recorda que só foi possível a representação daquela peça em Portugal porque, na altura, o regime procurava aproximar-se do Brasil e as questões diplomáticas levaram a aceitar a realização do espetáculo que estava em digressão pela Europa, segundo a Lusa.