Mais de 47.000 portugueses compraram bilhete para ver o filme «As cinquenta sombras de Grey», cuja estreia mundial está marcada para quinta-feira. O livro e o filme são já um longo sucesso que muitos atribuem às cenas de sexo, mas há quem defenda que é a história de amor que cativa os leitores. As dúvidas podem começar a ser tiradas já esta quarta-feira quando a longa-metragem erótica for no Festival de Berlim. 


Em declarações à agência Lusa, a diretora de marketing da distribuidora NOS Audiovisuais, Isabel Lima, admitiu que a venda antecipada de bilhetes superou todas as expetativas, com várias sessões esgotadas - em particular na quinta-feira e no sábado, Dia de São Valentim - e que o filme se tornou num «fenómeno de marketing».

Classificado em Portugal para maiores de 16 anos, «As cinquenta sombras de Grey», de Sam Taylor-Johnson, é uma adaptação cinematográfica do primeiro volume de uma trilogia erótica, também ela um sucesso internacional, da escritora britânica E.L James.

A trilogia centra-se na relação e nos jogos sexuais entre Christian Grey, multimilionário de 27 anos, e Anastasia Steele, estudante universitária. Os romances venderam cerca de cem milhões de exemplares em todo o mundo.

A venda antecipada de bilhetes abrange 55 salas de cinema e segundo Isabel Lima espera-se um reforço do número de trabalhadores de sala e dos serviços de restauração para fazer face à procura.

«Eu acho que este filme é bom para o mercado [português, que tem sofrido quebras sucessivas de receitas e espetadores]. Ganha a distribuidora, mas tem outras implicações para os exibidores. Irá fazer com que muita gente vá ao cinema, pessoas que não iam com regularidade», afirmou Isabel Lima.


Segundo a diretora de marketing, a maioria dos espetadores que compraram bilhete antecipado em Portugal são mulheres entre os 20 e os 40 anos. A distribuidora pondera que o filme fique em sala, a nível nacional, cerca de quatro meses, até à edição em DVD.

A expetativa em Portugal acompanha o que tem acontecido em dezenas de países, com vendas antecipadas a superarem os 4,5 milhões de bilhetes, segundo dados revelados pela publicação Deadline.

Por causa das cenas de sexo, o filme foi banido das salas de cinema na Malásia e na Indonésia, mas em França estreia com a recomendação para maiores de 12.

No Reino Unido, a atenção que tem sido dada ao filme levou algumas associações a apelarem ao boicote, sobretudo por considerarem que a história enaltece o abuso das mulheres. Segundo a imprensa britânica, uma das associações contestatária chama-se mesmo «As cinquenta sombras do abuso doméstico».

Antes da estreia mundial, quinta-feira em mais de 40 países, o filme "As cinquenta sombras de Grey" é exibido hoje à noite no Festival de Cinema de Berlim com as presenças dos protagonistas - a atriz Dakota Johnson e o ator Jaime Dorman -, da realizadora Sam Taylor-Johnson e da escritora E.L. James.

Segundo alguns meios norte-americanos, a realizadora Sam Taylor-Johnson anunciou esta semana, num encontro com fãs em Nova Iorque, que estão previstas as sequelas do primeiro filme, adaptando os restantes romances da trilogia.

E.L. James, de 51 anos, saiu do anonimato quando foi publicado o primeiro volume da trilogia, em 2011. Ligada ao meio televisivo, E.L. James tornou-se famosa de um momento para o outro e, segundo a revista Time, uma das mulheres mais influentes de 2012.

«No essencial, é uma simples história de amor. As cenas de sexo são muito faladas, mas foi a história de amor que cativou os leitores», afiançou a autora.


Em Portugal, a trilogia foi editada pela editora Lua de Papel e já vendeu cerca de 450.000 exemplares.

Nas sessões de cinema, quem estiver atento aos cenários da longa-metragem ficará a conhecer as mais de 30 peças de mobiliário português utilizadas para decorar o apartamento da personagem Christian Grey.