“O Renascido” é o grande vencedor dos prestigiados prémios da Academia Britânica do Cinema e da Televisão. O filme do realizador Alejandro González Iñarritu arrecadou cinco prémios Bafta: melhor filme, melhor ator, melhor realizador, melhor sonoplastia e melhor fotografia. Em segundo lugar ficou o filme “Mad Max – Fury Road”, com quatro prémios.

"Vivemos momentos muito difíceis a filmar 'O Renascido', mas todos esses momentos foram recompensados agora", disse Alejandro González Iñarritu em conferência de imprensa depois da cerimónia na Royal Opera House, em Londres.

De acordo com a Lusa, Leonardo DiCaprio, que interpreta Hugh Glass em "O Renascido", ganhou o prémio para Melhor Ator, enquanto o Bafta para Melhor Atriz foi entregue à norte-americana Brie Larson pelo papel em "O Quarto de Jack", de Lenny Abrahamson.

O Bafta para Melhor Filme britânico foi para "Brooklyn", de John Crowley.

A atriz britânica Kate Winslet conquistou o prémio Bafta para Melhor Atriz Secundária pelo papel da assistente Joanna Hoffman, no filme "Steve Jobs", realizado por Danny Boyle.

O prémio de Melhor Ator Secundário foi para o britânico Mark Rylance, pelo papel de espião soviético desempenhado no filme "A ponte dos espiões", realizado por Steven Spielberg.

O filme "Spotlight" ganhou o prémio para Melhor Argumento Original, assinado por Tom McCarthy e Josh Singer, e "A grande aposta", escrito por Charles Randolph e Adam McKay, conquistou o Bafta para Melhor Argumento Adaptado.

Por seu turno, o ator norte-americano Sidney Poitier recebeu o Bafta Honorífico pela sua contribuição para a indústria cinematográfica, tendo sido fortemente ovacionado na Royal Opera House, onde foi apresentado um vídeo pré-gravado do artista de 88 anos nascido nas Bahamas.

O britânico de ascendência nigeriana John Boyega ganhou o prémio Melhor Ator Revelação no filme "Star Wars: O despertar da força", pelo papel de Finn, um soldado ao serviço da Primeira Ordem que decide juntar-se à resistência. Este é o único Bafta decidido pelo público e votado online.

O documentário realizado por Asif Kapadia sobre a vida da artista britânica Amy Winehouse, intitulado "Amy", conquistou o Bafta para Melhor Documentário.

O compositor italiano Ennio Morricone, de 87 anos, conquistou o seu sexto Bafta pela Banda Sonora Original do filme "Os oito odiados", dirigida por Quentin Tarantino.

O Bafta para o Melhor Filme em Língua Não Inglesa foi para a coprodução hispano-argentina "Relatos Selvagens", do realizador argentino Damián Szifron.

"Divertidamente", filme de animação da Pixar, realizado por Pete Docter e Ronnie del Carmen, conquistou o Bafta para Melhor Animação.

Os Bafta ignoraram os dois principais favoritos, "Carol" e "Ponte dos Espiões", que chegaram com nove nomeações cada um.