A atriz italiana Asia Argento, de 42 anos, filha do cineasta Dario Argento, que denunciou as tentativas e alegados abusos sexuais do produtor norte-americano Harvey Weinstein, veio esta terça-feira defender-se das acusações de que ela mesmo teria assediado o jovem ator Jimmy Bennett, com quem trabalhou no filme "O Coração é Mentiroso", em 2004.

Estou chocada e magoada após ler notícias que são absolutamente falsas. Nunca tive qualquer relação sexual com Bennett", esclareceu Asia, num comunicado enviado ao amigo e publicista Yashar Ali, que o reproduziu através da sua conta no Twitter.

 

A notícia de que Asia, a principal motivadora do movimento MeToo, tinha assediado o jovem ator foi publicada pelo jornal New York Times, na segunda-feira.

De acordo com o jornal norte-americano, entre os documentos que recebeu, de forma anónima, através de um servidor seguro, estará uma fotografia de Asia com Bennett na cama, datada de 9 de maio de 2013, e uma carta da advogada da atriz, Carrie Goldberg, que em abril passado dava detalhes de como a "ajuda" iria ser paga ao ator.

Esta terça-feira, Asia respondeu e deu a entender ter sido vítima de chantagem, pondo fim à amizade com o jovem Bennett, quando este  que afirmou que lhe pediu uma "quantidade exorbitante de dinheiro".

Bourdain pagou

No comunicado, divulgado através do amigo Yashar Ali, a atriz admite, contudo, que o jovem Bennett recebeu dinheiro. Terá sido o namorado de Asia, o chef Anthony Bourdain, que morreu no passado mês de junho, a sugerir o pagamento, considerando que o jovem era um homem "perigoso".

Bennett conhecia o meu namorado, Anthony Bourdain, que era um homem visto como sendo rico e que tinha a sua própria reputação como figura pública amada a proteger (...) Anthony tratou pessoalmente de ajudar Bennett economicamente, sob condição de que não se intrometesse mais nas nossas vidas", afirmou Asia, no comunicado.

Apesar da reação de Asia, sabe-se que o advogado de Bennett terá enviado, em novembro, uma carta ao colega que representa a atriz, expondo que o seu cliente sofreu uma "agressão sexual", que lhe acabou por afetar a carreira. E é até que pede uma indemnização de 3,5 milhões de dólares, cerca de três milhões de euros, para o ator.