A comédia "The disaster artist" ganhou este sábado a Concha de Ouro de melhor filme no Festival de Cinema de San Sebastián, em Espanha, depois de ter sido distinguida com o prémio da imprensa especializada. O anúncio foi feito na gala de encerramento do festival, onde são atribuídos os principais prémios.

O filme "The disaster artist" ("O artista do desastre", em tradução livre), do norte-americano James Franco, já tinha sido distinguido no festival com o Prémio Feroz Zinemaldia, concedido pela imprensa especializada.

A comédia é uma homenagem a Tommy Wisau, realizador de "The room" ("A sala"), considerado o pior filme do mundo, e é também um retrato da indústria cinematográfica norte-americana.

Pela primeira vez, a Concha de Prata de melhor realizador foi entregue a uma mulher, a argentina Anahí Berneri, pelo filme "Alanis", protagonizado pela compatriota Sofía Gala Castiglione, que ganhou a Concha de Prata de melhor atriz.

"Alanis" denuncia a desproteção social das trabalhadoras sexuais ao contar a história de uma jovem prostituta e mãe de um bebé.

O romeno Bogdan Dumitrache, que dá corpo a um pai desesperado à procura da filha desaparecida, recebeu a Concha de Prata de melhor ator, em "Pororoca", de Constantin Popescu.

O filme "Handia", dos realizadores bascos Aitor Arregi e Jon Garaño, obteve o Prémio Especial do Júri.

"The captain" ("O capitão"), coproduzido por Paulo Branco, venceu o Prémio do Júri para a melhor fotografia.

Com estreia prevista em Portugal em março, "The captain", do realizador alemão Robert Schwentke, conta a história de Willi Herold, um soldado desertor do exército alemão antes do final da Segunda Guerra Mundial.

O filme, coproduzido pela Alfama Films, de Paulo Branco, foi exibido em competição no Festival de San Sebastián, após a estreia mundial no Festival de Toronto, no Canadá.

Em competição estavam três filmes portugueses - "Spell Reel", de Filipa César, "Flores", de Jorge Jácome, e "De madrugada", de Inês de Lima Torres - que não conquistaram qualquer prémio.