A Academia norte-americana de Cinema e Ciências Cinematográficas, que atribui os Óscares, anunciou este sábado que decidiu expulsar o produtor Harvey Weinstein, acusado de assédio, agressão sexual e violação de mulheres.

Reunida de urgência, a Academia votou esta decisão "bastante para além da maioria necessária de dois terços", anunciou a entidade num comunicado.

"Não somente nos distanciamos de alguém que não merece o respeito dos colegas, mas enviamos uma mensagem clara de que o tempo da ignorância deliberada e a cumplicidade vergonhosa relativamente a comportamentos de agressão sexual e assédio no local de trabalho na nossa indústria acabou."

Também a Academia Britânica de Cinema e Televisão (BAFTA) já tinha anunciado a suspensão imediata da sua associação a Harvey Weinstein.

Tanto as autoridades norte-americanas como as britânicas vão investigar as acusações feitas a Weinstein.

Segundo um artigo de investigação do jornal The New York Times, as queixas de assédio sexual remontam à década de 1990, sendo que Angelina Jolie e Gwyneth Paltrow estão entre as várias atrizes que têm revelado o escândalo.