O ator Dustin Hoffman é a última estrela de Holywood a ser acusada de assédio sexual, juntando-se a um rol de nomes que inclui figuras de peso como o produtor Harvey Weinstein e o ator Kevin Spacey. Hoffman já veio apresentar um pedido de desculpas público. 

A escritora Anna Graham Hunter acusou o ator de The Graduate (A Primeira Noite, 1967) de a ter assediado em 1985, quando ela tinha apenas 17 anos. Segundo Hunter, tudo aconteceu durante a rodagem do filme Death of a Salesman (A Morte do Caixeiro Viajante), quando ela era estagiária de produção do filme.

Num artigo que escreveu para o Hollywood Reporter, publicado esta quarta-feira, Hunter afirmou que o ator a apalpou e falou sobre sexo com ela.

No primeiro dia de rodagem, pediu-me para lhe fazer uma massagem aos pés. Eu fiz. Ele flirtava, apalpava-me o rabo e falava sobre sexo comigo e à minha frente. Um dia fui ao quarto dele para anotar o seu pequeno-almoço e ele disse que queria ovos bem cozidos... e um clitóris mal cozido. As outras pessoas começaram a rir às gargalhadas. Eu fiquei sem palavras. Depois fui para a casa de banho chorar.”

Hunter disse que descreveu a forma como o ator a tratou durante as cinco semanas que trabalhou com ele num pequeno diário que enviou à irmã na altura. Nesse diário, escreveu a seguinte passagem:

Hoje, enquanto estava a acompanhar o Dustin à limusina ele apalpou-me o rabo quatro vezes. Disse-lhe que ele era um homem velho e porco".

Mais, Hunter diz que, na altura, foi aconselhada por um supervisor a "sacrificar" alguns dos seus valores pelo bem da produção. 

Hoje, aos 49 anos, percebo o que o Dustin Hoffman fez e que é algo que se enquadra num padrão de comportamentos que as mulheres vivem em Hollywood e em todo o lado. Ele era um predador, eu era uma criança, e isto foi assédio sexual."

Hoffman respondeu ao artigo com um pedido de desculpas: "Tenho o maior respeito pelas mulheres e sinto-me muito mal que alguma coisa que tenha feito a possa ter colocado numa situação pouco confortável. Isto não reflete a minha pessoa", disse.

Esta história surge depois do produtor Harvey Weinstein, do cineasta James Toback e do ator Kevin Spacey também terem sido acusados de assédio sexual.