O documentário «Mudar de vida», sobre o músico José Mário Branco, realizado por Nelson Guerreiro e Pedro Fidalgo, terá antestreia nacional a 25 de Abril, no festival IndieLisboa, abrindo a secção «IndieMusic», anunciou a organização.

«Mudar de vida» começou a ser rodado em 2005 sem financiamento público, e os dois realizadores decidiram fazê-lo depois de terem assistido a um concerto de José Mário Branco, na Guarda.

Em 2012, Nelson Guerreiro contou à agência Lusa que o filme é mais do que um documentário biográfico sobre José Mário Branco, porque se debruça sobre a música de intervenção portuguesa e sobre Portugal.

José Mário Branco acedeu abrir-lhes as portas de casa, do estúdio, dos concertos, da vida pública e privada, com uma «generosidae singular», disse o realizador.

Os dois realizadores reuniram imagens de espetáculos, de gravações em estúdio, de José Mário Branco a trabalhar com outros músicos, em casa e nos bastidores.

Há ainda gravações de várias manifestações, de acções do Tribunal Mundial sobre o Iraque, ao qual José Mário Branco está associado, e algumas imagens de arquivo sobre o músico que compôs «FMI», «Ronda do Soldadinho», «Margem de certa maneira», «Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades» ou «Ser solidário».

A 11.ª edição do festival decorrerá de 24 de abril a 4 de maio em várias salas de Lisboa.

A programação será anunciada na totalidade no dia 25 de março.

Além de «Mudar de vida», a secção «IndieMusic» incluirá «filmes para todos os gostos», como «True», de Paulo Segadães, sobre o processo criativo de Paulo Furtado, The Legendary Tigerman, no mais recente álbum, ou «The Punk Singer», sobre Kathleen Hanna, membro das bandas Bikini Kill, The Julie Ruin e Le Tigre.

«Finding Fela», sobre o músico Fela Kuti, «Electro Chaabi», sobre a música electrónica egípcia, e «Springsteen and I», sobre Bruce Springsteen, também irão passar no IndieLisboa.