A antestreia do derradeiro filme de Hayao Miyazaki, a curta-metragem premiada nos Óscares, os filmes dos estúdios Aardman e os 50 anos da Pantera Cor-de-Rosa fazem o Monstra Festival de Animação de Lisboa, que começa esta quinta-feira.

A 13.ª edição do festival, concentrada no cinema São Jorge, dedicará uma homenagem ao cinema húngaro, exibindo uma retrospetiva dos últimos 50 anos, a mais recente produção do país e convidando alguns realizadores e artistas, como Ferenc Cakó, considerado um dos mestres do cinema de animação com areia.

Inserido na secção «Monstrinha», dedicada ao público mais novo, o festival contará com a antestreia de «Asas do vento», o filme com o qual o realizador japonês Hayao Miyazaki anunciou a despedida do cinema de animação.

Este ano, o Monstra contará, pela primeira vez, com competição de longas e curtas-metragens de animação.

Nas curtas internacionais estará «Mr. Hublot», de Laurent Witz, que recebeu este ano o Óscar de melhor curta-metragem de aimação, e também «Feral», de Daniel Sousa, candidato ao mesmo galardão.

Nas curtas-metragens nacionais, foram apenas selecionados dois filmes: «Ana - um palindromo», de Joana Toste, e «Carrotrope», de Paulo D'Alva.

Entre as sete longas-metragens em competição estão «Pinocchio», de Enzo Dalò, a produção brasileira «O menino e o mundo», de Alê Abreu, e «Tia Hilda», de Jacques Rémy Girerd e Benôit Chieux.

A extensa programação de cinema assinala ainda os 70 anos de «Animal Farm», de John Hallas, a partir de uma obra de George Orwell, e contará com a presença de Merlin Crossingham, o diretor de criação dos estúdios Aardman, do Reino Unido, onde nasceram as personagens Wallace & Gromit e a Ovelha Choné.

O Monstra decorrerá até ao próximo dia 23 com programação no Museu das Marionetas, no Teatro Meridional e em várias escolas de Lisboa e de Almada.