O realizador português Luís Diogo apresentou, esta segunda-feira, no Festival de Cinema Iberoamericano de Huelva, em Espanha, o filme «Pecado Fatal», que concebeu como curta-metragem e que concluiu no formato longo, com um orçamento de apenas dez mil euros.

Em conferência de imprensa após a apresentação da obra, Luís Diogo disse que começou por escrever o guião de uma curta-metragem, acabando no entanto por rodar uma longa-metragem, «porque ninguém em Portugal vive só como argumentista».

O filme foi rodado apenas com dez mil euros, um orçamento ínfimo «em comparação com os valores médios de 1,5 milhões de euros que têm as produções apresentadas no festival [de Huelva]», disse o cineasta à imprensa presente na cidade da Andaluzia, segundo a agência EFE.

A rodagem foi cumprida em oito fins de semana, «porque toda a gente [envolvida no filme] tinha outras ocupações», acabando por se usar cenários já existentes, como a própria casa do realizador.

O protagonista, Miguel Meira, teve aqui o primeiro papel de relevo, pois, até «Pecado Fatal», apenas cumprira algumas «pequenas participações, menos complexas».

O ator destacou o facto de toda a equipa o ter ajudado «a construir esta personagem, porque tinha de cruzar a interpretação com o argumento, da forma que o realizador queria dar à personagem».

Com Sara Barros Leitão, Miguel Meira e Joao Guimarães, o filme conta a história de Lila, uma rapariga de 20 anos que regressa a Paços de Ferreira, para investigar as suas origens, quem são os pais padres e porque a abandonaram num contentor de lixo, à nascença.

Luís Diogo, o realizador, nasceu na Guiné-Bissau, em 1972, e, aos dois anos, fixou-se com a família para Castelo Branco, onde se formou e se fez professor.

No ano 2000 escreveu o primeiro argumento, «A Bomba», que deu origem ao filme de Leonel Vieira, um dos mais vistos em 2002, e, em 2005, fez o guião de «1111», na base da curta-metragem de Manuel da Costa e Silva, da Escola Superior Artística do Porto.

«Pecado Fatal» sucede a «Noite Gélida em Castelo Branco», curta-metragem selecionada para a edição de 2012 do festival Luxor de Cinema Europeu, no Egito.

A rodagem de «Pecado Fatal», a primeira longa-metragem do realizador, teve início em setembro do ano passado, e contou com os apoios da câmara e junta de freguesia de Paços de Ferreira.