Os realizadores franceses Claude Lanzmann e Agnès Jaoui estarão em Lisboa em outubro na Festa do Cinema Francês, programa cultural dedicado à recente produção francófona, que chegará a seis outras cidades, incluindo pela primeira vez Beja, escreve a agência Lusa.

Na conferência de apresentação da 14ª edição, realizada esta terça-feira em Lisboa, a organização sublinhou a importância de se poder mostrar filmes franceses - alguns ainda não estreados em França - em cidades portuguesas que têm pouca oferta cinematográfica.

A Festa do Cinema Francês estará em Lisboa de 10 a 20 de outubro, seguindo a programação depois para Almada, Coimbra, Beja, Faro e Guimarães, terminando no Porto entre 4 e 10 de novembro.

Dos 46 filmes em exibição, destaca-se o documentário «O Último dos Injustos», do realizador Claude Lanzmann, de 87 anos, sobre o Holocausto e sobre Benjamin Murmelstein, judeu que terá colaborado com os nazis num dos campos de concentração.

Claude Lanzmann, que estará em Lisboa, estreou o documentário em maio no festival de Cinema de Cannes, regressando a uma figura controversa que tinha já filmado em «Shoah», em 1985, que também será exibido na Festa do Cinema Francês. É que a organização dedicará uma retrospetiva ao realizador, em parceria com a Cinemateca.

A realizadora Agnès Jaoui, este ano a madrinha da Festa do Cinema Francês, também estará em Lisboa com o filme «E Viveram Felizes Para Sempre...?», uma comédia que subverte as regras de um conto de fadas tradicional.



Por ser a madrinha do festival, Agnès Jaoui mostrará ainda a faceta de cantora - já fez um dueto com Camané e outro com Mísia - num concerto a 17 de outubro na discoteca Lux, acompanhada de dez músicos, sendo esperadas canções portuguesas, brasileiras e cubanas.

Das antestreias previstas no festival, destacam-se ainda «A Espuma dos Dias», adaptação de Michel Gondry do romance de Boris Vian, «Jeune et Jolie», de François Ozon, e «Cherchez Hortense», de Pascal Bonitzer.





Haverá ainda um ciclo dedicado ao cinema e a literatura e outro a Paris, cidade-personagem e cenário de sete filmes emblemáticos: «Os Quatrocentos Golpes», de Truffaut, «Os Amantes de Pont Neuf», de Leos Carax, e o documentário «Petit a Petit», de Jean Rouch.

A Festa do Cinema Francês acolherá ainda a exibição de uma cópia restaurada de «Hiroshima Mon Amour» (1959), de Alain Resnais, e um encontro com Caroline Champetier, atriz, realizadora e diretora de fotografia que trabalhou com realizadores como Godard, Claude Lanzmann e Jacques Rivette.

Toda a programação está disponível em www.festadocinemafrances.com.