O funeral da atriz Maria Zamora realiza-se esta quarta-feira em Macedo de Cavaleiros, pelas 16:00. A família pediu que não fossem revelados mais pormenores sobre o enterro nem o local do velório.
 
Maria Zamora despediu-se da vida aos 40 anos, na madrugada de terça-feira, em Lisboa, deixando uma enorme tristeza no coração dos amigos, que manifestaram o seu pesar nas redes sociais. Logo ela, que fazia rir tantos. Maria Zamora era a «Doutora Titti-Frutti», da Operação Nariz Vermelho, a organização sem fins lucrativos e composta por atores voluntários que levam sorrisos e alegrias a crianças hospitalizadas.

A notícia da morte de Maria Zamora foi anunciada pela própria Operação Nariz Vermelho. 
 

Vamos sorrir com lágrimas e rever aqui a atriz numa das suas «operações» hospitalares no Nariz Vermelho.

 

A cineasta Raquel Freire teve uma das reações mais emocionadas à morte da atriz. 

 
 
 

A emoção tomou conta de vários colegas e admiradores, que destacam a sua delicadeza e altruísmo. 










E até anónimos ficaram chocados com a morte de uma mulher tão nova, com tanto para dar, para dar vida a quem está na força dela e que, por vezes, não a tem, Maria tinha o remédio, era médica sem diploma, porque «rir é o melhor remédio». 



Atualmente,a atriz fazia parte do elenco da telenovela «Jardins Proibidos», na TVI, encarnando o papel de «Maria João».

Maria Zamora participou noutras telenovelas, nomeadamente «Sol de inverno», «Doce tentação», «Destinos Cruzados» e na série televisiva «Inspetor Max».

Entrou igualmente no filme «Operação outono», de Bruno de Almeida, sobre o assassinato do general Humberto Delgado, onde fez o papel de enfermeira, e na curta-metragem «Poema», de Hugo Varela Silva, entre outras produções.

Em 2005 fez parte do elenco do filme «O crime do padre Amaro», de Carlos Coelho Silva, que foi protagonizado por Jorge Corula e Soraia Chaves.

 

Simplesmente, Maria


Como nesta fotografia, tirada por Gonçalo Gregier Franco, em 2009.

Nascida em Trás-os-Montes, vivia em Lisboa desde 2004. Morreu em Lisboa. O seu corpo segue para Macedo de Cavaleiros. O seu sorriso fica eternizado na memória de todos. Adeus, Maria. Adeus, «Doutora».