«O Dia Mais Curto», iniciativa da Agência da Curta Metragem que decorre entre as 00h00 e as 24h00 de sábado, passa por 23 localidades, incluindo a realização de várias festas e a projeção de 40 filmes em 49 sessões, escreve a agência Lusa.

Em declarações prestadas à Lusa, o diretor da Agência da Curta Metragem, sediada em Vila do Conde, Nuno Rodrigues, explicou que o objetivo da iniciativa é levar o cinema aos quatro cantos do país naquele que é o dia mais curto do ano - 21 de dezembro - para que fique também marcado pela exibição de curtas-metragens.

«Da meia-noite de dia 20, à meia-noite de dia 21, a programação será variada e constante. Vamos levar cinema às grandes cidades, como Porto e Lisboa, mas também a cidades que têm habitualmente uma menor frequência de sessões de cinema como Viseu, Sardoal ou Tavira. "O Dia Mais Curto" vai estar em salas comerciais, como as da UCI, em espaços FNAC, mas também em salas menos utilizadas», descreveu Nuno Rodrigues.

É a primeira vez que «O Dia Mais Curto» se realiza em Portugal depois de ter alcançado sucesso em outros países europeus como Alemanha e França. Ao todo, a organização promete 49 sessões de cinema e 40 filmes. As salas abertas estão espalhadas de norte a sul do país e até existe programação para os mais pequenos com a vertente «Sessão Curtinhas». Tudo pensado para celebrar o solstício de inverno em 24 horas de cinema sem pausas.

Para já, são 23 as localidades que responderam afirmativamente ao repto da Agência da Curta Metragem, a mesma que há 21 anos organiza o maior festival de curtas-metragens do país e há 14 anos procura distribuir pelo mundo fora as curtas-metragens realizadas em Portugal. Em cada cidade são os cineclubes locais ou os responsáveis das salas de cinema que gerem as sessões da noite mais curta do ano.

No futuro, a Agência da Curta Metragem quer levar «O Dia Mais Curto» a mais locais, desde logo a salas de cinema que permanecem encerradas ou a localidades que há muito deixaram de ver a fita de cinema a rodar.

«Este é o primeiro ano da iniciativa em Portugal, mas em dois/três anos talvez consigamos atingir mais salas e alargar o programa. Vamos tentar levar o cinema àquelas salas que até já tiveram história nesta arte mas deixaram, por alguma razão, de ter. Vamos tentar envolver cada vez mais população», referiu Nuno Rodrigues.

O diretor tem, ainda, outro «sonho»: «Ocupar os espaços públicos das cidades. Exibir curtas-metragens em museus ou galerias, por exemplo».

No Porto o arranque é dado no Passos Manuel às 00h00 de sábado. Em Guimarães no CAAA - Centro para os Assuntos da Arte e Arquitetura. Primeiro, há animação, através de DJ convidados. Depois as sessões de cinema multiplicam-se por todo o país em horários alternados ou ao mesmo tempo. E o encerramento, às 24h00 de sábado, está programado para Vila do Conde, no Teatro Municipal.

Aderiram a «O Dia Mais Curto» as cidades de Albufeira, Almeirim, Barcelos, Braga, Cascais, Coimbra, Constância, Figueira da Foz, Faro, Funchal, Guimarães, Leiria, Lisboa, Matosinhos (sede do concelho e cidade de Senhora da Hora), Porto, Redondo, Santo Tirso, Sardoal, Tavira, Viseu, Vila do Conde e Vila Nova de Gaia.