Os Óscares, os mais mediáticos prémios do cinema, são atribuídos este domingo à noite, em Los Angeles, na Califórnia, numa cerimónia que conta com um nome português entre os nomeados, Daniel Sousa, e a sua curta-metragem «Feral».

As atenções estarão centradas, obviamente, nos filmes mais nomeados e que, à partida, são favoritos nas principais categorias: «Golpada americana», «Gravidade» - ambos com dez nomeações - e «12 anos escravo», com nove nomeações.

Para melhor realização, há as estreias nas nomeações de Steve McQueen («12 anos escravo») e Alfonso Cuarón («Gravidade»), ao lado de David O. Russell de «Golpada Americana», que já tinha sido nomeado duas vezes antes, Martin Scorsese, autor de «Lobo de Wall Street», que vai na oitava nomeação, e Alexander Payne, pela terceira vez nomeado, agora com «Nebraska».

Para o Óscar de melhor filme estão indicados nove filmes: «Golpada americana», «Capitão Phillips» (de Paul Greengrass), «O Clube de Dallas» (de Jean-Marc Vallée), «Gravidade», «Her» (de Spike Jonze), «O lobo de Wall Street», «12 anos escravo», «Philomena» (de Stephen Frears) e «Nebraska».

A 86.ª edição dos Óscares, organizada pela Academia de Cinema dos Estados Unidos, será apresentada por Ellen DeGeneres.

Daniel Sousa, realizador português nascido em Cabo Verde, está nomeado para o Óscar de melhor curta-metragem de animação com o filme «Feral».

Em declarações na sexta-feira à agência Lusa, o realizador disse sentir-se lisonjeado pela atenção mediática das últimas semanas, por causa do filme. «Feral» tem 13 minutos e demorou sete anos a fazer. Daniel Sousa explicou que queria «explorar os conflitos interiores do intelecto e do instinto, a sensação de alienação que uma criança sente quando é exposta a um ambiente novo, e a necessidade de se sentir integrado».

A TVI dedica este domingo uma emissão especial aos Óscares, com transmissão em direto e em exclusivo para Portigal da cerimónia.