Njinga foi uma rainha em Angola no século 17. Durante 40 anos, enfrentou os portugueses e lutou com todas as forças até conseguir a independência dos reinos de Ndongo e Matamba. A Unesco reconhece-a, hoje, como uma das 25 mulheres mais importantes da história africana. Um caso sério de coragem e determinação, agora, no cinema.

Interpretar Njinga foi um desafio para Lesliana Pereira, atriz de 27 anos, que se lembra bem de ouvir falar dela na escola. A «Rainha de Angola» é uma figura chave na história do país. Retratá-la em filme é uma responsabilidade, tanto para a protagonista, angolana, como para o realizador, português.

Para estar à altura dos acontecimentos históricos, a produção não poupou nos recursos, humanos e materiais¿ até porque boa parte da rodagem aconteceu no mato. O resultado é o maior filme que já se fez em Angola, com um sucesso à medida.

Oito meses depois, «Njinga» chega a Portugal com a força que intimidou os portugueses, há cerca de 400 anos.