O ator brasileiro Cláudio Cavalcanti morreu no domingo, ao final da tarde, aos 73 anos, por complicações cardíacas após uma operação na coluna cervical, escreve a agência Lusa.

Cláudio Cavalcanti, que atualmente era secretário municipal de Promoção e Defesa dos Animais do Rio, estava internado desde o dia 16 no hospital Pró-Cardíaco Botafogo.

Conhecido em Portugal pela sua participação em telenovelas como «Irmãos Coragem» ou «Roque Santeiro», Cavalcanti é um nome relevante no cenário artístico brasileiro, tendo trabalhado como ator, realizador, produtor teatral, escritor, tradutor, cantor, e radialista.

Ao longo da carreira, participou em mais de 50 telenovelas, minisséries e especiais, além de 22 longas-metragens e dezenas de peças teatrais. Foi também vereador do Rio de Janeiro durante dois mandatos.

O último trabalho de Cavalcanti na televisão foi a segunda temporada da série «Sessão de Terapia», do canal GNT, com estreia prevista para dia 7 no Brasil.

«Ele veio com muita humildade e muita fome», disse à «Folha de São Paulo» o produtor de «Sessão de Terapia», Roberto d'Ávila. «Parecia um garoto de 17 anos no seu primeiro trabalho.»

O realizador, Selton Mello, já anunciou que a nova temporada de «Sessão de Terapia» será dedicada a Cavalcanti.

«Era um grande ator, deixou um trabalho extraordinário. É uma lástima que ele não tenha visto este trabalho pronto, era um recomeço para ele. Isto tudo foi muito súbito e muito surpreendente», disse Mello.

«Uma das coisas que me chamou mais a atenção foi a disponibilidade física dele. Ele estava ali como um menino, com uma vontade de fazer bonito», acrescentou.

Carioca, nascido a 24 de fevereiro de 1940, filho de um professor e de uma dona de casa, Cláudio Cavalcanti fazia teatro amador na escola, em 1956, quando foi convidado por um amigo para participar num teste no TBC - Teatro Brasileiro de Comédia -, que iria montar a peça «Nossa Vida com Papai» e precisava de um ator na faixa dos 16 anos.

Foi nessa época que conheceu e conviveu com jovens atores que anos depois seriam conhecidos além-fronteiras, como Fernanda Montenegro, Sérgio Britto e Nathalia Timberg.

Na mesma época, começou a sua carreira também na televisão, ao ser convidado para participar no programa João e Maria, na TV Tupi.