Manoel de Oliveira, o mais antigo realizador do mundo, morreu esta quinta-feira aos 106 anos, mas deixa uma obra que perdurará no tempo. 

Recorde aqui algumas das suas obras disponíveis nas redes sociais e que ficarão imortalizadas: 

«O Convento», de 1995

 

«Francisca», de 1981

 

«Viagem ao Princípio do Mundo»,  de 1997

 

«A Carta», de 1999

 

«Party», de 1996

 

«Singularidades de Uma Rapariga Loura», de 2009

 

E o filme de sempre e para sempre, «Aniki-Bobó», de 1942