O realizador português Pedro Costa conquistou, este sábado, o Leopardo do Festival de Locarno 2014 para a melhor realização com o filme «Cavalo Dinheiro».

O Leopardo de Ouro, a mais alta distinção do certame, foi para o filme «Mula Sa Kung Ano Ang Noon» (From What Is Before), de Lav Diaz, das Filipinas.

«Cavalo Dinheiro» é a primeira longa-metragem de Pedro Costa desde o documentário de 2009 «Ne Change Rien».

O Festival Internacional de Cinema de Locarno, que decorre anualmente na cidade com o mesmo nome, na Suíça, é um dos três mais antigos do mundo, a seguir aos festivais de Cannes e Veneza.

«Cavalo Dinheiro» marca o regresso do realizador à personagem Ventura e ao universo das Fontainhas, depois de «Ossos», «No quarto de Vanda» e «Juventude em marcha».

O filme foi concluído no ano passado, e teve estreia mundial nesta 67.ª edição do Festival de Locarno.

Além de melhor realização, Pedro Costa foi também distinguido com uma menção especial do Prémio FICC/IFFS (Federação Internacional de Cineclubes).

«Listen Up Philip», do norte-americano Alex Ross Perry, obteve o Prémio Especial do Júri, enquanto «Ventos de Agosto», do brasileiro Gabriel Mascaro, recebeu uma menção especial.

Portugal ficou ainda representado noutra distinção do festival: o Leopardo de Melhor Primeira Obra, atribuído ao filme norte-americano «Songs from the North», da realizadora coreana Soon-Mi Yoo, que tem coprodução portuguesa.

A primeira longa-metragem documental de Soon-Mi Yoo, que irá integrar o Festival Internacional de Cinema de Toronto, de 04 a 14 de setembro, é uma coprodução entre a Rosa Filmes e Haden Guest.

O filme explora o enigma da Coreia do Norte com que a realizadora se deparou nas três visitas que fez ao país, numa mistura de imagens, músicas e cinema, que tenta entender a psicologia e imaginário popular dos norte-coreanos.

O Leopardo para a Melhor Atriz foi atribuído a Ariane Labed, no filme francês «Fidelio, L¿Odyssée d¿Alice», da autoria de Lucie Borleteau.

A melhor interpretação masculina foi a do ator Artem Bystrov, no filme «Durak» (The Fool), do russo Yury Bykov.