O Cinema Ideal, a primeira sala de cinema de Lisboa, que foi frequentada por marinheiros e operários, palco para a estreia do ator António Silva, de filmes indianos e pornográficos, cumpre 110 anos e reabre em setembro.

A sala de cinema nasceu em 1904 e teve várias vidas ao longo de mais de um século. Chamou-se Salão Ideal, Piolho do Loreto (está localizado na Rua do Loreto, ao Chiado), Cine Camões e Cine Paraíso.

Nascido num edifício do século XIX, o Ideal reabrirá portas no final do verão pela mão do produtor Pedro Borges, que pretende recuperar o perfil de sala de cinema de bairro, mas com uma programação centrada no cinema independente.

O Salão Ideal apareceu numa altura em que «o espetáculo de cinema não era uma atração autónoma». «Exibiam-se curtas-metragens no meio de outras variedades, de circo. Esta foi a primeira sala a ter o cinema como uma atração por si só», afirmou à agência Lusa, nesta quinta-feira, a investigadora Maria do Carmo Piçarra.

«É uma abertura fundamental, dada a inexistência de salas de cinema com programação autónoma em Lisboa. É um esforço quase quixotesco e quero perceber como é que nós, lisboetas, vamos responder a isto. Não basta ter uma programação, é preciso que tenha frequência», considerou Maria do Carmo Piçarra.

Após as obras, do antigo salão não restará praticamente nada, a não ser a localização. O novo Cinema Ideal terá cerca de 200 lugares, exibição digital, uma cafetaria e uma livraria.