«Child of God», o novo filme realizado por James Franco, teve estreia mundial no sábado durante o 70º Festival de Cinema de Veneza. Aos jornalista, o protagonista, Scott Haze, revelou que viveu como um autêntico ermita durante alguns meses para se preparar o mais realisticamente possível para o papel.

«Durante muitas noites, dormi em cavernas na companhia de morcegos. Foi de loucos. Deixei tudo para trás e fui viver com camponeses e tentei estar o mais isolado possível [da civilização]», contou Haze, citado pela Associated Press.

O único artigo «moderno» que o ator fez questão de levar consigo foi um leitor de mp3 com músicas do rapper Eminem, confessou.

Depois de três meses passados nas regiões montanhosas do estado norte-americano do Tennessee, Scott Haze apresentou-se para as rodagens de «Child of God» tal e qual a personagem que viria a interpretar: malnutrido, com aspeto descuidado e um olhar distante.

«[O Scott] não falava com ninguém, ficava no seu canto, e continuou assim durante toda a rodagem do filme», recordou o realizador James Franco, elogiando «a performance de uma vida» do seu protagonista.

Em «Child of God», Scott Haze interpreta o papel de Lester Ballard, um homem que perde a família e o contacto com a sociedade, tornando-se num eremita e num «serial killer».

O argumento, de James Franco e Vince Jolivette, surgiu adaptado do romance homónimo de Cormac McCarthy.O autor inspirou-se num dos mais infames assassinos em série dos EUA, Ed Gein - um criminoso cuja maldade já foi recriada no grande ecrã com personagens como Norman Bates («Psycho») e Leatherface («Massacre no Texas»).