O avião particular do cineasta neozelandês Peter Jackson juntou-se às buscas no Oceano Índico pelo avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde 8 de março, com 239 pessoas a bordo.

Um porta-voz do realizador de «O Senhor dos Anéis» confirmou, esta quarta-feira, que o próprio aprovou pessoalmente a utilização do aparelho, um Gulfstream G650, na missão de resgate.

Por esclarecer está, no entanto, se Peter Jackson, com uma fortuna estimada em cerca de 400 milhões de euros, será pago por este contributo.

De acordo com a Rádio Nova Zelândia, também o centro australiano coordenador das buscas recusou esclarecer este ponto, limitando-se a afirmar que um avião civil está a auxiliar nas buscas.

Além do avião de Peter Jackson, o ministro britânico da Defesa anunciou que o submarino nuclear HMS Tireless juntou-se às operações.

Noutro plano da investigação, as autoridades malaias estão a concentrar a investigação nos pilotos e restante tripulação, depois de terem excluído o envolvimento dos 227 passageiros no desaparecimento do Boeing 777, segundo o chefe da polícia da Malásia.

Khalid Abu Bakar adiantou que os passageiros foram ilibados de possível envolvimento no desvio do avião, sabotagem ou problemas pessoais/psicológicos que possam explicar o desaparecimento do Boeing da Malaysia Airlines, durante a ligação Kuala Lumpur-Pequim.