As salas de cinema registaram 12 milhões de espetadores e 62,7 milhões de euros de receita de bilheteira em 2014, sendo os piores valores de consumo desde 2004, segundo dados do Instituto do Cinema e Audiovisual.

O ICA divulgou esta sexta-feira as estatísticas da exibição de cinema em Portugal em 2014 e o que se verifica é uma nova quebra na ida dos portugueses ao cinema, comparando com 2013. Mas se a comparação for feita com 2004 a quebra é ainda mais acentuada.

Em 2004, foram contabilizados 17,1 milhões de espetadores. Em 2014 foram pouco mais do que 12 milhões (12.065.374).

No que toca à receita bruta de bilheteira, os valores desceram de 71,1 milhões de euros (2004) para 62,7 milhões de euros (2014).

Segundo dados do ICA, em 2014 cada sessão de exibição de cinema contou, em média, com 20 espetadores.

Comparando com 2013, em 2014 houve menos 481.371 espetadores nas salas de cinema, o que representou menos 2,7 milhões de euros de receitas de bilheteira.

O filme «The Hunger Games: A revolta - parte 1», de Francis Lawrence, que estreou apenas em novembro, foi o mais visto de 2014 em Portugal, totalizando 344.075 espetadores.

O filme português mais visto de 2014 foi «Os Maias - Cenas da vida romântica», de João Botelho, somando 114.817 espetadores.

Também a ultrapassar a fasquia dos cem mil bilhetes emitidos (106.736 espetadores) surge a comédia «Virados do avesso», de Edgar Pêra. O terceiro filme português mais visto de 2014 foi «Os gatos não têm vertigens», de António-Pedro Vasconcelos, com 93.273 espetadores.

Entre as três maiores distribuidoras de cinema, a Nos Lusomundo Audiovisuais - líder há vários anos - registou uma quebra de cerca de quatro milhões de euros.

Enquanto exibidora, a maior em território português, a Nos Lusomundo Cinemas também registou perdas de mais de três milhões de euros de receita.

Em 2014, a quota de exibição de filmes europeus (44,1%) ultrapassou a de filmes de produção norte-americana (41,9%), mas o mesmo não se reflete no número de espetadores e receita de bilheteira.

Os dados mostram que os portugueses preferem largamente os filmes de origem norte-americana (com 8,5 milhões de espetadores) aos de origem europeia (com 1,5 milhões de espetadores).

Vendo as estatísticas por distritos, há grandes diferenças geográficas nas exibições. Os distritos de Bragança e Portalegre tinham em 2014 apenas duas salas de exibição comercial. Mas no distrito transmontano houve 3.551 espetadores em 54 sessões e em Portalegre houve apenas 25 sessões de cinema, com um total de 814 espetadores.

Lisboa, Porto e Setúbal são os distritos que registam maior número de espetadores, assim como um maior número de salas, embora a média tenham sido emitidos 22 bilhetes sessão.