A 86º noite dos Óscares teve pizza de Ellen DeGeneres comida à mão em pleno Teatro Dolby, em Hollywood, e uma #selfie que fez estremecer o Twitter. Madrugada fora, o filme «Gravidade» foi somando o maior número de estatuetas douradas - sete no total, mas deixou escapar o galardão de Melhor Filme do ano para «12 Anos Escravo», de Steve McQueen.

Óscares: a lista dos vencedores

Na hora de receber o prémio, o realizador estava tão nervoso que foi por momentos imperceptível nos agradecimentos. Mas ficou a mensagem principal: a estatueta foi dedicada a todos quantos sofreram na pele da escravatura e aos milhões que nos tempos de hoje ainda são escravos. «Todos merecem não só sobreviver, mas sobretudo viver», sublinhou.

A grande transformação corporal e interpretação em «O Clube de Dallas» deram a Matthew McConaughey o Óscar de Melhor Ator. Em palco para receber o prémio, o ator enalteceu a sua gratidão a Deus, explicando que persegue sempre aquele que poderá vir a ser um dia para poder dizer um dia que é o seu próprio herói. As lágrimas rasavam nos olhos.

Com esta vitória de McConaughey, confirma-se a «maldição» de Leonardo DiCaprio, que nomeado quatro vezes para um Óscar (a primeira das quais há precisamente vinte anos com «Aprendiz de Sonhador»), teve o azar de não inaugurar ainda este ano a prateleira das estatuetas douradas. O caso era uma dos temas da noite no Twitter.

Com uma serenidade absoluta, coube a Cate Blanchet o Óscar de Melhor Atriz. É a segunda vez que ganha uma estatueta (como Melhor Atriz Secundária, em «O Aviador», nos Óscares de 2005) mas, pela forma tranquila como se apresentou em palco, mais parecia a veterana Meryl Streep, que tendo sido 18 vezes nomeada, não colecionou desta vez nova estatueta para a sua coleção.

Sem surpresa, o realizador de «Gravidade», Alfonso Cuarón, pela primeira vez nomeado, foi o Melhor Realizador do ano para a Academia de Hollywood. Nos agradecimentos, o mexicano disse que Sandra Bullock, protagonista do filme, foi «a melhor pessoa» que já conheceu.

O Óscar de Melhor Atriz Secundária foi para Lupita Nyong'o pela sua atuação em «12 Anos Escravo». Esta foi a primeira vez que uma queniana foi nomeada e venceu o prémio maior do cinema. Com dez nomeações, o filme não foi além dos três Óscares.

O Óscar de melhor Ator Secundário foi para «O Clube de Dallas». Emocionado, Jared Leto dedicou ao seu discurso à mãe, que engravidou ainda adolescente e lutou para que o filho chegasse longe. O também vocalista dos 30 Seconds to Mars quis deixar ainda uma mensagem a todos quanto lutam pela transformação política na Venezuela e Ucrânia. «Estamos aqui enquanto lutam pelos vossos sonhos se tornem realidade», declarou.

Apesar dos muitos apoios nas redes sociais, o Óscar musical não foi Pharrell Williams, mas sim a música «Let it go», «Frozen», de Kristen Anderson-Lopez.

O Óscar de Melhor Filme Estrangeiro foi para o italiano Paolo Sorrentino, «A Grande Beleza».

Minuto a minuto a TVI24.pt mostrou-lhe todos os momentos, tweets, fotos e vídeos de uma noite de emoções. Uma cobertura alargada na TVI24.pt que contou com uma equipa de estudantes da Pós-graduação em Jornalismo do ISCTE/Media Capital.

* Com Paulo Sampaio, Marta Pimenta, Rita Mendes, Joana Gomes, Filipa Cardoso, Verónica Clarisse, Pedro Lourenço Jorge, Gonçalo Roque, Sofia Santana, Inês Almeida e Oriana Martinho