Duncan Campbell venceu a edição deste ano do Prémio Turner, concedido anualmente pela Galeria Tate e que é considerado o mais importante prémio de arte britânico. A distinção, no valor de 25 mil libras (mais de 30 mil euros) foi anunciada pelo ator Chiwetel Ejiofor - o protagonista de «12 Anos Escravo», numa cerimónia que ocorreu no museu britânico, esta segunda feira.

O artista, de origem irlandesa e com 42 anos, foi escolhido pelo filme «It for others», concebido para o pavilhão da Escócia, na Bienal de Arte de Veneza, de 2013. Na corrida ao prémio estavam também James Richards, Ciara Phillips e Tris Vonna-Michell.

O filme é um «ensaio» de 54 minutos que constitui uma reflexão sobre a arte e a «importância da construção de valor e de sentido». Reúne segmentos de «As Estátuas Também Morrem», um ensaio de Chris Marker e Alain Resnais, de 1956, e uma dança coreografada por Michael Clark, inspirada na obra «O Capital» de Karl Marx.

«Ambicioso e complexo». Foi assim que o júri do Turner classificou «It for others», destacando a «construção de valores e significados» do autor.

O Prémio Turner, que celebra 30 anos, distingue anualmente um artista plástico britânico com menos de 50 anos. Nomes como Damien Hirst, Anish Kapoor e Laure Provoust já foram galardoados com o Turner.

Os trabalhos dos quatro indicados de 2014 estão expostos desde 30 de setembro na Galeria Tate, onde vão permanecer até 4 de janeiro.