O documentário «É Duro Ser Amado por Idiotas», de 2008, sobre o processo contra o jornal satírico «Charlie Hebdo» por ter reproduzido as caricaturas de Maomé, foi vendido a um distribuidor norte-americano para exibição nos EUA.

O distribuidor francês do filme, Eric Lagesse, disse à agência noticiosa AFP que o filme foi vendido ao distribuidor norte-americano Kino Lorber.

Este filme, que foi realizado por Daniel Leconte, tendo saído em França, em 2008, de forma discreta, segue em tempo real o processo colocado por organizações muçulmanas contra o Charlie Hebdo, por ter reproduzido em 2006 as 12 caricaturas dinamarquesas de Maomé.

Na altura fechou as exibições com 50 mil entradas.

Entretanto, a 07 de janeiro passado, a redação do semanário foi atacada por dois jihadistas franceses, que mataram 12 pessoas, incluindo cinco caricaturistas, entre os quais o diretor do jornal Stéphane Charbonnier.