Richard Gere reuniu ontem com os representantes do congresso norte-americano para falar da tensão política existente entre o Tibete e a China.

O actor manifestou ter esperança que a eleição de Barack Obama para a Casa Branca sirva de modelo à China para eleger um presidente tibetano.

Praticante do budismo, o actor considera que a eleição de um negro para dirigir os Estados Unidos era impensável há 30 anos e afirma que «as coisas mudam rapidamente e é em tempos de crise e tragédias que elas mudam mais», refeiu, citado pelo jornal «El Pais».

A visita de Richard Gere coincide com a celebração do 50ºaniversário da fracassada revolta tibetana contra o poder chinês, que resultou no exílio de Dalai Lama.