Maggie Gyllenhaal foi intitulada por uma produtor de Hollywood, cujo nome não é conhecido, como demasiado velha para interpretar o papel de uma mulher de 37 anos que desperta o amor de um homem de 55 anos.

A atriz contou numa entrevista ao site sobre celebridades, "The Wrap", que ficou chocada quando lhe negaram o papel de alguém que se apaixonaria por um homem quase 20 anos mais velho. 

"Há coisas que são realmente dececionantes quando se é atriz em Hollywood e que me surpreendem a toda a hora. Tenho 37 anos e, recentemente, disseram-me que era demasiado velha para despertar o amor de um homem que tem 55. Foi surpreendente para mim. Fez-me sentir mal, fez-me raiva e de seguida fez-me rir."


Desde o filme "Vertigo", de 1958, em que Kim Novak interpreta o papel de uma mulher com metade da idade do protagonista de sexo masculino, interpretado por James Stewart, até aos filmes de James Bond, várias são as histórias de amor entre mulheres muito mais novas do que os homens, com quem contracenam. 

O preconceito com a idade não é um tema discutido só no grande ecrã, também atrás das câmaras este assunto tem levantado algumas questões importantes em Hollywood. 

De acordo com o Centro de Estudos das Mulheres na Televisão, Cinema e Novos Media, o sexo feminino representa apenas 12 por cento dos protagonistas dos 100 filmes com maior bilheteira de 2014. 

Um outra inquérito realizado, no ano passado, dá conta de que apenas 22 por cento dos trabalhadores, envolvidos na realização dos 2.000 filmes com maior bilheteira dos últimos 20 anos, eram mulheres.

Gyllenhaal não identificou o produtor que lhe negou o trabalho, nem o ator que irá interpretar o papel masculino , mas diz sentir-se esperançosa de que as mulheres lentamente consigam ganhar um lugar de destaque no mundo do trabalho. 

"Muitas atrizes estão a fazer um trabalho incrível, representando as mulheres reais, as mulheres complicadas. Não me sinto, de todo, desesperada. E estou a olhar com mais esperança para algo fascinante."