Uma média de 14 novas salas de cinema abriu diariamente na China em 2013, confirmando o país como o segundo maior mercado cinematográfico do mundo, a seguir aos Estados Unidos da América, escreve a agência Lusa.

Pelas contas da Administração Estatal da Imprensa, Publicações, Rádio, Cinema e Televisão chinesa, no final de 2013 a China tinha 18.195 salas de cinema, mais 5.077 do que um ano antes, indica o jornal «China Daily».

As receitas de bilheteira cresceram 27,51 por cento em relação a 2012, somando 21.770 milhões de yuan (2.640 milhões de euros), mais de o dobro do que há apenas três anos.

Um filme chinês, dirigido por Stephen Chow, popular ator e realizador de Hong Kong, foi o filme mais lucrativo do ano, com cerca de 1.250 milhões de yuan (151.800 euros).

O norte-americano «Homem de Ferro 3», de Shane Black, ficou em segundo lugar, com 753,6 milhões de yuan (91,6 milhões de euros).

Entre os dez primeiros figuram mais dois filmes estrangeiros, também com a marca de Hollywood: «Batalha do Pacífico», de Guillermo del Toro, e «Gravidade», com Sandra Bullock e George Clooney, mas, ao contrário de 2012, as chinesas arrecadaram mais de metade das receitas (58,65 por cento).

A importação de filmes é monopólio do Estado chinês. Em 2012, alem da habitual quota de vinte, a China passou a autorizar a compra de mais 14 produções em formato 3D e IMAX.

Contudo, o recorde de bilheteira absoluto continua a pertencer a «Avatar», de James Cameron, que faturou 1.380 milhões de yuan (168 milhões de euros) em 2010.