Portugal e França vão criar um fundo de apoio, de um milhão de euros, à coprodução de obras cinematográficas luso-francesas, num protocolo que é assinado hoje em Paris, anunciou a Secretaria de Estado da Cultura.

Esse fundo de investimento vai ser criado para um período de três anos pelo Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) e pelo Centre National du Cinéma et de L¿Image Animée (CNC) e «irá atribuir apoios a obras coproduzidas por, pelo menos, uma empresa produtora estabelecida em Portugal e uma empresa produtora estabelecida em França», cita a Lusa.

Em março, o secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, tinha afirmado que esse fundo de investimento terá um milhão de euros, dos quais 200.000 euros sairão dos cofres do ICA e 800.000 euros serão do organismo francês.

«As coproduções internacionais são uma componente importante da indústria cinematográfica portuguesa», porque «permitem uma diversificação das fontes de financiamento dos projetos, contribuindo para uma maior difusão das obras», sustenta a secretaria de Estado.

O protocolo para avançar com este fundo é assinado hoje no Palais de Chaillot, em Paris, pelo presidente do CNC, Frédérique Bredin, e pela presidente do ICA, Filomena Serras Pereira.

«Prevê-se que as negociações (para a criação do fundo) possam ser concluídas no prazo máximo de três meses», diz ainda a nota de imprensa.

Atualmente, no âmbito de apoios financeiros, o ICA estipula - segundo o novo calendário de concursos - 1,1 milhões para coproduções de longas-metragens de ficção e documentário e para curtas-metragens de animação, dos quais 500.000 euros são para coprodução com países de Língua Portuguesa.

O plano de investimento do ICA (apresentado em março) inclui ainda 300.000 dólares (217.000 euros) para apoio à produção luso-brasileira.

Jorge Barreto Xavier está em Paris para participar no Fórum Europeu de Cultura, a convite da Ministra da Cultura e Comunicação de França, Aurélie Filippetti.