A comédia "O pátio das cantigas", de Leonel Vieira, foi o segundo filme mais visto no fim de semana de estreia, entre quinta-feira e domingo, com mais de 80.000 espectadores, segundo dados do Instituto do Cinema e Audiovisual.

Com estes dados dos primeiros dias de exibição, "O pátio das cantigas" é já o filme português mais visto de 2015, entre as quase 20 produções nacionais que se estrearam no circuito comercial.

O filme de Leonel Vieira teve 80.973 espectadores e 426 mil euros de receita de bilheteira, ficando apenas atrás da animação "Mínimos", líder de exibição no fim de semana, com 137.404 espectadores.

"O pátio das cantigas" é a primeira de três homenagens de Leonel Vieira aos clássicos do cinema português e baseia-se no filme realizado em 1942 por Francisco Ribeiro (Ribeirinho), com Vasco Santana e António Silva nos principais papéis.

"Não refilmei o guião, distanciei-me muito, peguei em alguns elementos que mantive, que são para mim uma homenagem ao filme que nos inspira. (...) Fizemos um corpo totalmente novo, e acho que o nosso humor é renovado. São outros diálogos, as nossas cenas de humor estão noutras cenas e não tentei refazer as cenas emblemáticas", afirmou o realizador à agência Lusa, antes da estreia.

O filme conta com os atores Miguel Guilherme e César Mourão nos papéis antes interpretados por António Silva e Vasco Santana.

"O pátio das cantigas", de 1942, é considerado uma das comédias mais populares do cinema português, feita na chamada "época de ouro", nas décadas de 1930 e 1940. Nessa época estrearam-se também filmes como "A Canção de Lisboa" (1933), "Aldeia da roupa branca" (1938), "O pai tirano" (1941) e "O Costa do Castelo" (1943).

A homenagem referida por Leonel Vieira inclui ainda os novos filmes "O Leão da Estrela", que deverá chegar aos cinemas pelo natal, e "A Canção de Lisboa", com estreia marcada para 2016.