Na sequência das  acusações de abuso sexual e violação, a Netflix decidiu adiar, indefinidamente, o programa especial dedicado aos 77 anos do ator Bill Cosby, que iria estrear no dia 28 deste mês. Uma decisão que foi mútua, segundo o representante de Cosby.

De acordo com a revista «People», no programa, o famoso comediante norte-americano iria recordar em tom cómico a sua infância, falar sobre os seus primeiros amores, e ainda sobre o seu papel enquanto pai.
As acusações voltaram a ser alvo de atenção depois da estação norte-americana NBC ter anunciado o regresso do ator, e Barbara Bowman, uma das alegadas vítimas, ter relatado minuciosamente ao Washington Post os supostos abusos que sofreu, quando tinha apenas 17 anos.

O mais recente testemunho vem de Janice Dickinson, ex-supermodelo, que afirmou no «Entertainment Tonight» ter sido violada pelo comediante em 1982.

Segundo a imprensa norte-americana serão pelo menos 13 as mulheres que relataram abusos semelhantes, e se ofereceram para testemunhar.

Em via de comunicado, Cosby desmentiu as acusações.