O filme espanhol "Los huesos del frio", do realizador Enrique Leal, foi este domingo o grande vencedor da terceira edição do Arouca Film Festival, entre as 50 curtas-metragens de 20 países a concurso no certame.

João Rita, diretor do festival, declarou à Lusa que, da qualidade das obras em competição, "não foi fácil para o júri decidir".

A obra de Enrique Leal convenceu pela forma como "conta a história de uma viagem que, pelo meio da guerra, da fome e da brutalidade, marcará para sempre a vida do jovem Domi, que tenta trazer para casa o seu irmão".

No balanço do evento, João Rita acrescenta que esse superou as expectativas em termos de afluência de expectadores, "vindos de Norte a Sul do país", e realça que também marcaram presença no festival muitos realizadores e atores dos filmes em exibição.

"Isso transformou Arouca numa verdadeira vila do cinema", acrescenta Cátia Camisão, subdiretora do certame. "Perto de 700 pessoas estiveram no festival ao longo dos três dias e foi com agradável surpresa que assistimos à presença de um público atento, interessado e participativo, que aplaudiu com entusiasmo todos os filmes projetados", afirma.

A edição do Arouca Film Festival que hoje terminou atribuiu prémios a outros filmes, entre os quais se destaca "Mi primer beso", do também espanhol Albert Manich Vallespí, que, além da Lousa de Prata, que distingue a segunda melhor obra a concurso, venceu ainda a categoria de Melhor Filme de Ficção.

O Prémio do Público coube ao alemão "Golden ", de Kai Stänicke; o de Melhor Realização a "Flash", do espanhol Alberto Ruiz Rojo; e o de Melhor Argumento a "Die ratte", da alemã Anja Gurres.

Nas categorias técnicas, o alemão Moritz Krämer sobressaiu com a Melhor Fotografia em "Eat" e o espanhol Carlos Lascano com a Melhor Montagem em "Lila".

O ator brasileiro Cristiano Requião, por sua vez, ganhou o prémio de Melhor Representação, pelo seu trabalho na curta "Jennifer & Norival".

Melhor Filme de Animação: "Vida ", do brasileiro Gordeeff .
Melhor Filme Documentário: "Luz clara", dos portugueses Miguel Lima e Vasco Vieira. |
Melhor Filme de Videoclip: "W-Magic feat. Valete - Bicho do Mato", do português André Santos.
Melhor Filme Experimental: "Sound of a million insect, light of a thousand stars", do japonês Tomonari Nishikawa.