O filme "Visita ou memórias e confissões" que Manoel de Oliveira rodou nos anos 1980 para ser mostrado publicamente só após a morte, será exibido em maio no Festival de Cinema de Cannes, em França, revelou a organização.

O festival de Cannes, que por várias vezes reconheceu o cinema de Manoel de Oliveira, irá mostrar aquele filme no âmbito de um tributo, cerca de um mês depois da morte do cineasta, a 02 de abril, aos 106 anos.

Antes de Cannes, "Visita ou memórias e confissões" terá a primeira exibição pública, em estreia mundial, na segunda-feira no Teatro Municipal do Rivoli, no Porto. Na terça-feira será mostrado na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa.

Com diálogos escritos por Agustina Bessa-Luís, para as vozes de Diogo Dória e Teresa Madruga, este é um filme biográfico de Manoel de Oliveira, rodado quando tinha 73 anos, na casa onde viveu cerca de quatro décadas com a mulher, os filhos e os netos.

O realizador tinha depositado uma cópia na Cinemateca Portuguesa, deixando estipulado que o filme só deveria ter exibição pública após a morte.