A atriz espanhola Anna Allen, de 32 anos, criou uma conta no Instagram, onde publicava fotos de si própria em vários eventos. O problema é que tudo não passava de um embuste. Quem o descobriu foi a imprensa espanhola, mas a originalidade da história já a levou além-fronteiras. Anna Allen alterou, por exemplo, com photoshop uma imagem de uma convidada da cerimónia dos Óscares, em Hollywood, colocando a própria cara no corpo dessa pessoa, e publicou a imagem no Instagram, como se lá tivesse estado. A vida inventada de Anna Allen encontra paralelo na história de Francisco Nicolás Gómez-Iglesias, conhecido em Espanha como «pequeño Nicolás», um burlão de 20 anos que se fez passar por assessor do Governo espanhol e chegou a frequentar festas da realeza.





Apesar de, recentemente, ter tido apenas um papel nas primeiras temporadas da série «Cuéntame cómo pasó», o formato em que se inspirou a versão portuguesa «Conta-me Como Foi», desde sábado que a vida de Anna Allen é o tópico mais discutido em Espanha. Tudo porque a revista «La Otra Crónica», do jornal «El Mundo», descobriu que a atriz, que alegadamente estivera na cerimónia de entrega dos Óscares, enviou ao jornal fotografias alteradas com recurso ao photoshop da passagem pela passadeira vermelha. Na realidade, Anna Allen nunca esteve em Los Angeles, nos EUA, muito menos foi convidada para o evento, mas dedicou-se a forjar uma imagem onde parece desfilar no exterior do Dolby Theater.

Os repórteres do jornal espanhol duvidaram da veracidade das imagens, até porque o trabalho não era de grande qualidade: a sombra da atriz não estava onde devia estar consoante a iluminação, a silhueta estava mal recortada e o vestido preto parecia «desvanecer-se» em algumas partes do corpo, numa tentativa de dissimular o facto de ter sido colocado em cima de um fundo falso que deixava ver o cenário da «red carpet» por onde passaram as celebridades. Anna Allen não foi uma delas, mas além de ter enviado as fotografias ao «El Mundo», que desmontou o embuste, partilhou as imagens nas redes sociais. As contas da atriz no Instagram e no Twitter passaram a estar protegidas.





Quando enviou as fotografias ao «El Mundo», falou aos jornalistas com o entusiasmo de quem acabara de realizar um sonho e disse que tinha levado joias, sapatos e vestido, todos emprestados por marcas espanholas, que entretanto se mostraram abismadas com a falsidade da história. Anna Allen disse mesmo que conversara com o apresentador dos Óscares, o ator Neil Patrick Harris, que lhe confessara ser fã do seu trabalho.
 
«Consegui sonhar com a magia do cinema. Surpreendeu-me a quantidade de pessoas que trabalha nos Óscares, há centenas de auxiliares de produção, de equipas de imprensa... É tudo tão imenso», referiu. Mas quando os jornalistas do «El Mundo» tentaram confrontá-la com a fotomontagem, Anna Allen deixou de estar acessível. Os representantes da atriz deixaram de responder aos emails ou de atender telefonemas.
 
Entretanto, o caso chegou ao Reino Unido e o «Daily Mail» deu, esta quarta-feira, a notícia da atriz espanhola que tinha 22 mil seguidores no Instagram e foi apanhada a «inventar» toda a carreira em photoshop. Isto porque os jornalistas investigaram e perceberam que a maior parte das fotografias que Anna Allen partilhava nas redes sociais não eram dela. Anna Allen inventou até participações em séries televisivas. Por exemplo, divulgou uma fotografia sua com o elenco da série norte-americana «Teoria do Big Bang» em que, afinal, se limitou a substituir o rosto da atriz Summer Glau pelo seu, dizendo que tinha entrado nas gravações do formato da CBS.
 
 



Mas Anna Allen não parou por aí. De acordo com o «Daily Mail», a atriz chegou a alterar uma fotografia de promoção de uma minissérie da BBC, Emma, em 2009, de maneira a parecer que posava ao lado do ator Johnny Lee Miller e tinha um papel de relevo.




 
Anna Allen também foi apanhada a mentir, mais uma vez, no Instagram, quando se apropriou de uma fotografia divulgada pela atriz Lupita Nyong’o, com o convite para os Óscares, e recortou um pormenor para partilhar na própria conta dizendo: «É oficial, estou convidada».

Ao que parece, grande parte da vida e da carreira de Anna Allen é forjada e está assente em fotografias retocadas ou que não são suas. Os próprios projetos onde a atriz disse ao «El Mundo» estar envolvida negam a colaboração. Anna Allen autoproclamou-se embaixadora da marca britânica Vertu, que fabrica telemóveis de luxo, e da Fight Aids, uma associação de combate à discriminação das pessoas com VIH, juntamente com a princesa Stéphanie do Mónaco. Ambas as instituições já confirmaram ao jornal espanhol que não têm qualquer vínculo com Anna Allen.