O MOTELx - Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, que se realiza a partir desta quarta-feira, no Cinema São Jorge, vai exibir 80 curtas e longas-metragens, nacionais e internacionais, em 59 sessões, escreve a agência Lusa.

A abertura, esta noite, é marcada por «Open Grave», o mais recente filme de Gonzalo López-Gallego, cineasta que regressa a Lisboa depois de ter marcado presença na edição de 2008, com «El Rey de la Montaña».



No dia do encerramento, no domingo, será projetado o filme «You're Next», de Adam Wingard, que se estreou no Festival de Toronto.



O realizador norte-americano Tobe Hooper, que dirigiu «Poltergeist», é o convidado de honra desta edição, estando agendada uma «masterclass» para sábado, no São Jorge, ministrada pelo cineasta. Uma retrospetiva da sua obra acompanha o certame.

Além do realizador que também assinou «Massacre no Texas», também vão comparecer no São Jorge o japonês Hideo Nakata, que dirigiu «Ringu» e «The Complex», a apresentar agora em Lisboa, e Juan Carlos Medina, com «Insensíveis» («Painless»), filme coproduzido pela Fado Filmes, de Luís Galvão Teles, vencedor do Festival de Estrasburgo.

«Insensíveis» tem estreia comercial marcada para depois do festival e será exibido extraconcurso, no último dia do certame, no domingo, 15 de setembro.

Esta sétima edição do MOTELx homenageia igualmente o norte-americano Ray Harryhausen, criador de efeitos especiais, falecido em maio passado, de quem se exibirá, na secção Lobo Mau, destinada ao público infantojuvenil, os filmes «Jason e os Argonautas» (1963) e «Quando o Mundo Nasceu» (1966).

Na secção Serviço de Quarto, serão apresentados cinco filmes realizados por mulheres: «Chained», de Jennifer Lynch, «Kiss of the Damned», de Xan Cassavetes, «Dark Touch», de Marina de Van, «It's a Beautiful Day», de Kayoko Asakura, e «Belenggu», de Upi Avianto.

Xan Cassavetes, filha do cineasta John Cassavetes (o realizador de «Uma Criança à Espera» e «Glória»), e sua mãe, a atriz Gena Rowlands, vêm a Lisboa apresentar a primeira obra da cineasta.

Na secção Doc Terror é destacado o documentário de Penny Vozniak sobre a odisseia de Jennifer Lynch em Bollywood, «Despite the Gods».

Do cartaz, a organização salienta ainda «Maniac», de Frank Khalfoun, com Elijah Wood, e a comédia de terror «Hell Baby», de Robert Ben Garant e Thomas Lennon, rodada em Nova Orleães.

Pelo cinema português comparecem António da Cunha Telles e António de Macedo, cujos filmes, proibidos pela ditadura do Estado Novo - à semelhança das peças de Bernardo Santareno, que adaptaram -, serão exibidos na secção Quarto Perdido, dedicada a «Os Censurados».

A secção inclui assim «O Crime da Aldeia Velha» (1964), de Manuel Guimarães, produzido por Cunha Telles, com Glicínia Quartin e música original de Joly Braga Santos, e «A Promessa» (1972), de António de Macedo, com Guida Maria, João Mota e Sinde Filipe, obra selecionada para o Festival de Cannes de 1973.

O festival atribui o Prémio de Melhor Curta de Terror Portuguesa 2013, que este ano reúne nove candidatos: «Bilis Negra», de Nuno Sá Pessoa, «O Coveiro», de André Gil da Mata, «Desespero», de Rui Pilão, «Hair», de João Seiça, «Herdade dos Defuntos», de Patrick Mendes, «Longe do Éden», de Carlos Amaral, «Monstro», de Alex Barone, «Nico - A Revolta», de Paulo Araújo, e «Sara», de Miguel Ângelo.

O júri desta edição é constituído pelo humorista Nuno Markl, pela jornalista Safaa Dib e pelo presidente da direção do Razor Reel Fantastic Film Festival, Thierry Phlips.