Sete filmes portugueses integram o ciclo «25 de abril uma aventura para a democracia», sobre os 40 anos da «revolução dos cravos» e que decorrerá em abril na região de Lisboa e Setúbal.

Organizado pela associação Zero em Comportamento, o ciclo pretende «contribuir para uma reflexão sobre esse momento tão marcante da história mais recente, mas também vai atrás no tempo e mostra alguma da realidade desse tempo de ditadura».

O ciclo, que decorrerá em Lisboa, Odivelas e Santiago do Cacém, foi pensado para o público em geral, mas também para o público escolar, sustenta a associação.

No dia 24, os filmes serão mostrado no auditório Carlos Paredes, em Benfica (Lisboa), no dia 25 no Centro Cultural Malaposta, em Odivelas, e no dia 26 no Auditório Municipal António Chainho, em Santiago do Cacém.

Foram escolhidos os documentários «Outro país» (1999), de Sérgio Tréfaut, e «Cartas a uma ditadura» (2006), da atriz e deputada Inês de Medeiros, a partir de uma centena de cartas de apoio ao regime de Salazar, escritas por mulheres portuguesas em 1958, e descobertas por acaso num alfarrabista.

Há ainda o premiado documentário «48» (2009), de Susana Sousa Dias, que conta as histórias - a partir de fotografias de cadastro - de homens e mulheres que foram presos e torturados pela PIDE, e «Linha vermelha», (2011), de José Filipe Costa, sobre um filme de Thomas Harlan feito em 1975 sobre a ocupação de uma herdade no Ribatejo.

O ciclo inclui ainda «O segredo» (2008), de Edgar Feldman, sobre a fuga do forte de Peniche do antigo dirigennte comunista Dias Lourenço, a ficção «Amanhã» (2004), de Solveig Nordlund, sobre a PIDE, e o documentário «25 de Abril, uma aventura para a democracia» (2000) de Edgar Pêra.