Uma carta pessoal «estranha» enviada pelo nobel da literatura Ernest Hemingway à atriz e cantora Marlene Dietrich vai ser leiloada no final deste mês.

A carta, íntima e considerada «fora do vulgar», foi enviada em 1955 e começa de forma natural, com Hemingway a responder à última carta da atriz onde esta se queixava das condições de um palco em Las Vegas onde atuava. No entanto, a partir daí, a resposta começa a entrar por caminhos menos usuais.

«Se eu estivesse a dirigir [a peça], provavelmente faria algo original. Faria com que fosses alvejada, bêbeda, por um «Minnewerfer» [morteiro alemão da altura da primeira guerra mundial]. Quando caísses no palco, bêbeda e nua, eu avançaria por trás, pela tua traseira, vestido com roupas de noite, e despir-me-ia delas para te tapar, revelando o físico de Burt Lancaster», escreveu Hemingway.

O autor continua e a carta fica ainda mais estranha. A produção teria «aspiradores em reverso que soprariam as minhas roupas de noite de cima de ti», escreveu.

«Esta é uma cena que arrepia a espinha e eu tenho exatamente a "espinha" para a fazer», continuou. «Interpreto-a com uma baleia de borracha gigante chamada Capitão Ahab¿ Tu está a espumar da boca, para mostrar, claro, que estamos mesmo a representar e engarrafamos a espuma para vender a quaisquer clientes sobreviventes».

Dietrich e Hemingway conheceram-se a bordo de um cruzeiro de Paris para Nova Iorque em 1934 e tornaram-se grandes amigos. Nunca tiveram uma relação amorosa, mas as cartas que trocavam revelavam uma afeição mutua.

Segundo o «Hollywood Reporter», a carta sai de uma coleção de 250 objetos que pertenceram a Dietrich, deixadas aos seus três netos. Peças como um dos icónicos fatos pretos de Dietrich, óculos de sol, uma máquina de escrever, isqueiros e fotografias, estão também a ser leiloados.

O leilão será a 19 de Março no site auctionmystuff.com.