Steven Seagal, um ator bem conhecido pelos seus papeis em filmes de ação, parece ter assumido uma nova personagem: defender a anexação da Crimeia pela Rússia, escreve o jornal britânico «The Independent».

Diz-se há já algum tempo que Steven Seagal e Vladimir Putin se conhecem e simpatizam um com um outro. Ambos são apaixonados por artes marciais. Mas, agora, o ator terá afirmado numa entrevista ao jornal «Rossiskaya Gazeta» considerar «razoável» que Putin «queira proteger as pessoas que falam russo, os seus bens e a sua base naval em Sevastopol», na região da Crimeia.

De acordo com o «The Moscow Times», Seagal está atualmente na Roménia, a gravar o seu novo filme. Segundo a mesma fonte, na entrevista o ator afirma ainda considerar Putin «um dos maiores líderes mundiais vivos» e que gosta de o ver «como um irmão». Terá também criticado a política «idiota» dos Estados Unidos em relação à Ucrânia.

No entanto, estas não são as suas primeiras palavras sobre a situação na Crimeia já que o ator, também conhecido por ser republicano fez parte, o mês passado, de um painel de comentadores especialistas no programa «Russia Today», que falaram sobre o aumento da tensão na região.

Mas outro ator, ligado a filmes de ação já deu a sua opinião sobre a situação na Crimeia. Questionado sobre o tema, Arnold Schwarzenegger, também ex-governador da Califórnia, aconselhou todos a «parar tudo o que estavam a fazer e a assistir ao seu novo filme "Sabotage"».