A longa-metragem «Florbela», de Vicente Alves do Ó, conquistou seis prémios Sophia, mas perdeu o de Melhor Filme para «Tabu», de Miguel Gomes, anunciou no domingo a Academia Portuguesa de Cinema.

Numa cerimónia que aconteceu no Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa, a Academia Portuguesa de Cinema distinguiu os melhores filmes portugueses estreados ao longo dos últimos meses.

«Florbela», filme inspirado na biografia da poetisa Florbela Espanca, somava 15 nomeações, mas só arrecadou seis prémios, entre os quais os de Melhor Atriz Principal - Dalila Carmo - e Melhor Atriz Secundária - Anabela Teixeira.



Vicente Alves do Ó foi eleito o Melhor Realizador, mas o filme perdeu uma das principais categorias para «Tabu».

O filme de Miguel Gomes, premiado em 2012 em Berlim e que tinha nove nomeações nos Sophia, conquistou ainda o prémio de Melhor Montagem.



«Linhas de Wellington», filme de Valeria Sarmiento, sobre um dos episódios históricos das invasões francesas, recebeu quatro dos prémios para os quais estava nomeado, entre eles, o de Melhor Argumento Original, para Carlos Saboga, e de Melhor Ator Secundário, para Albano Jerónimo.



O papel de Rosa Casaco em «Operação Outono», de Bruno de Almeida, valeu a Carlos Santos o prémio de Melhor Ator Principal.

O filme, que recupera a história da morte do general Humberto Delgado, foi distinguido também no Argumento Adaptado.



«Cerro Negro», de João Salaviza, «Kali, o Pequeno Vampiro», de Regina Pessoa, e «Raul Brandão era um Grande Escritor», de João Canijo, foram distinguidos nas curtas-metragens.

Gonçalo Tocha viu «É na Terra Não é na Lua» receber o Sophia de Melhor Documentário.

Foram ainda atribuídos prémios de carreira a Laura Soveral, Acácio de Almeida e Manuel Castello Lopes, e um prémio de excelência a Manoel de Oliveira.

A melhor banda sonora foi considerada a música composta por The Legendary Tigerman e Rita Redshoes para o filme «Estrada de Palha», de Rodrigo Areias.