O documentário «Continental», do realizador canadiano Malcolm Ingram, que recupera a história de uma sauna em Nova Iorque que nos anos 1970 simbolizou uma revolução sexual, inaugura esta noite no cinema São Jorge o Festival Queer Lisboa, escreve a agência Lusa.

A 17ª edição, que se prolonga até dia 28, terá quase uma centena de filmes de 26 países, na maioria sobre a difícil situação política e social na Europa e o seu impacto na comunidade «queer».

De acordo com a organização, o denominador comum dos filmes selecionados é «a reflexão sobre a difícil situação política e social da Europa e as suas consequências diretas para as comunidades e indivíduos "queer"».

No fim-de-semana, o destaque vai para a estreia nacional do documentário «E Agora? Lembra-me», dirigido e protagonizado por Joaquim Pinto, que vive há 20 anos com os vírus VIH e hepatite C. O filme chega ao Queer semanas depois de ter sido premiado no festival de Locarno.



Em competição no Queer Lisboa estarão, entre outros, em estreia nacional, o documentário «Interior. Leather Bar» (EUA), realizado por James Franco e Travis Mathews, estando confirmada a presença em Lisboa de Mathews, para apresentar a obra.



Também em competição vai estar «In The Name Of...»(Polónia), de Malgoska Szumowska, ficção vencedora do Teddy Award da passada edição da Berlinale, na Alemanha.



Na secção Queer Art, a direção do festival destacou três filmes: «Gore Vidal: The United States of Amnesia», de Nicholas Wrathall, «Bette Bourne: It Goes With The Shoes», de Jeremy Jeffs e Mark Ravenhill, e «Wonder Women! The Untold Story of American Superheroines», de Kristy Guevara-Flanagan.

O músico londrino David Bowie, «que ao longo da sua carreira desafiou conceitos de sexualidade e género», estará em destaque no Queer Pop, que exibirá alguns vídeos musicais do artista.

A encerrar o festival, no dia 28 de setembro, às 21h00, será apresentado «Out In The Dark» (Israel, EUA), de Michael Mayer, um filme sobre a história de amor entre dois homens - um israelita e um palestiniano - e o preconceito vivido nos dois lados da fronteira.



Quanto ao orçamento para esta edição, ronda os mesmos valores da edição do ano passado: cerca de 88 mil euros.

O Queer Lisboa é o único festival português dedicado ao cinema de temática gay, lésbica, bissexual, transgénero e transsexual.