O Festival de Cinema IndieLisboa, que começa no dia 23, irá homenagear o realizador Manoel de Oliveira com os filmes «O Estranho Caso de Angélica» e «A Caça», incluindo ainda «Les Gans Blancs», de Louise Traon, sobre colaboradora do cineasta.

Manoel de Oliveira, que morreu a 2 de abril aos 106 anos, foi «um dos maiores exemplos de independência artística: um realizador livre, contra as correntes, sempre fiel à reinvenção da forma cinematográfica», afirmou esta quinta-feira a direção do IndieLisboa.

Para recordar o legado do cinema de Manoel de Oliveira, a organização apresentará em Lisboa - e pela primeira vez no Porto - o documentário «Les Gants Blancs», da realizadora francesa Louise Traon. No dia 30 na Cinemateca e a 2 de maio no Rivoli.

Naquele filme, a realizadora, que estará em Portugal, aborda o trabalho da mãe, Valérie Loiseleux, que foi montadora de várias obras de Manoel de Oliveira, nomeadamente «Vale Abraão», «O Convento», «Espelho Mágico» e o mais recente «O Gebo e a Sombra».

«Les Gants Blancs« será exibido juntamente com «O Estranho Caso de Angélica».

No final do IndieLisboa, a cerimónia de entrega de prémios será precedida do filme «A Caça», curta-metragem de Manoel de Oliveira, de 1963, «para que o espírito de um cinema livre acompanhe os novos talentos premiados no festival».

A 12.ª edição do Festival Internacional de Cinema Independente de Lisboa decorrerá de 23 de abril a 3 de maio