Três alegadas vítimas de abuso sexual por Bill Cosby interpuseram uma ação cível por difamação contra o comediante. De acordo com  a CNN, em causa estão as afirmações do seu advogado, Martin Singer, que considerou, publicamente, as acusações «ridículas», atribuindo às queixosas um estatuto de «mentirosas».
 
O processo foi iniciado por Tamara Green, que segundo o advogado pretende «limpar a sua reputação», «a coisa mais importante que temos».

A Tamara juntaram-se Linda Traitz e Therese Serignese, duas das 23 mulheres que acusaram o comediante de má conduta sexual, que vai desde toques inapropriados a violações.

Em declarações à CNN, Singer afirmou que desafia o senso comum que «tantas pessoas não tenham dito nada, feito nada, e que não tenham reportado à justiça ou iniciado ações cíveis».

A estação norte-americana não obteve reações do advogado face aos últimos desenvolvimentos.

Conheça as queixas das três mulheres:

Linda Joy Traitz

Traitz assegura que Bill Cosby a assediou enquanto trabalhou como empregada de mesa num restaurante em Los Angeles onde era sócio, em 1969.

Na altura Linda teria entre 18 e 19 anos, tinha acabado o secundário e era nova na cidade. De acordo com a mesma, Cosby ofereceu-lhe boleia para casa e, no caminho, disse que gostaria de parar na praia. Quando estacionaram, ele ofereceu-lhe drogas, uma variedade de comprimidos coloridos para «relaxar».

Inicialmente recusou, mas o comediante continuou a oferecer-lhe os comprimidos, alegou, afirmando que de seguida ele lhe apalpou o peito e se tentou deitar por cima dela. 

Numerosas detenções mancham o cadastro de Linda Joy, onde se inclui suspeita de roubo, fraude, roubo de identidade e posse de drogas.

Em entrevista à CNN, Traitz falou abertamente sobre a sua última pena, em 2008, em que foi condenada a três anos de cadeia por tráfico e posse de drogas, sentença que segundo a mesma «lhe salvou a vida».

Therese Serignese

Hoje com 57 anos, Therese é enfermeira na Flórida, e contou à ABC que quando tinha 19 anos e trabalhava como modelo em Las Vegas, depois de um espetáculo, Cosby lhe ofereceu comprimidos num camarim privado.

Depois de os tomar, lembra-se de se«sentir drogada e de estar inclinada para a frente com o comediante por trás dela a ter relações sexuais».

No artigo que escreveu para o New York Daily News, justifica nunca ter apresentado queixa com o facto de não ter provas, e de Cosby estar em todo o lado, e ser visto como um respeitado homem de família.

De acordo com Serignese, o testemunho surge da vontade de querer fornecer algum suporte à ação cível apresentada por Andrea Constand.

Tamara Green

No processo apresentado pela mesma, Tamara seria uma aspirante a modelo em 1970 quando conheceu Cosby através de um amigo em comum.

Encontraram-se para almoçar, apesar de Green estar a sentir-se doente, e alegadamente o comediante ofereceu-lhe comprimidos, que disse serem para a «constipação».

Segundo afirmou à NBC, Tamara começou a sentir-se «fraca e com tonturas», e Bill Cosby levou-a para o seu apartamento, onde começou a apalpá-la, beijá-la, tocar-lhe e a despi-la.

No documento entregue em tribunal, Green afirma que o ator deixou duas notas de 100 dólares na mesa de centro, e foi-se embora.