No sul da China, vai ser construída a cidade Liuzhou Forest, um projeto do arquiteto italiano, Stefano Boeri, com capacidade para acolher 30 mil pessoas. As obras só deverão, contudo, iniciar-se em 2020.

Este novo conceito de cidade, procura combater o problema de poluição que afeta o país, partindo da ideia de encontrar um novo equilíbrio com a natureza.

Ao longo de 175 hectares e com o rio Liujiang como pano de fundo vão nascer casas, escritórios, hotéis, hospitais e escolas.

Ao todo, vai acolher 40.000 árvores e quase um milhão de plantas de mais de 100 espécies”, revela o gabinete responsável pelo projeto.

O arquiteto, Stefano Boeri, acredita que a nova cidade “vai ser autossuficiente em energia, contribuir para melhorar a qualidade do ar, absorvendo 57 toneladas por ano de CO2 e poeira fina, diminuir a temperatura média do ar, criar barreiras de ruído e melhorar a biodiversidade das espécies vivas, gerando habitat para aves” pode ler-se na página do projeto.

Não é a primeira vez que o arquiteto aplica o conceito de natureza e arquitetura. Exemplo disso é o projeto Green River, na cidade italiana de Milão, que pretende recuperar com parques e jardins uma zona ferroviária.