O Presidente da República apresentou esta segunda-feira Portugal como uma "localização competitiva para o investimento", sublinhando que a economia portuguesa é hoje "mais competitiva, mais sustentável e mais integrada nos mercados globais".

"Foram feitas reformas estruturais importantes em Portugal e a nossa economia é hoje mais competitiva, mais sustentável e mais integrada nos mercados globais", afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, durante uma conferência de imprensa conjunta com a primeira-ministra norueguesa, Erna Solberg, no final de um encontro em Oslo.

E, apesar das relações económicas entre Portugal e a Noruega terem "aumentado significativamente" nos anos mais recentes, Cavaco Silva reconheceu que estão ainda "abaixo do seu potencial".

"E nós estamos convencidos que Portugal é uma localização competitiva para o investimento", sublinhou o chefe de Estado português, apontando a energia, a aquacultura, a investigação e a inovação na economia do mar como áreas onde é possível reforçar as relações comerciais e o investimento entre Portugal e a Noruega.

Corroborando o Presidente da República, a primeira-ministra norueguesa considerou que Portugal e a Noruega, dois países costeiros, têm "muito a aprender um com o outro".

Erna Solberg não quis, contudo, comprometer-se quanto ao reforço do investimento em Portugal, lembrando que o trabalho dos Governos é criar um bom ambiente de negócios e facilitar o estabelecimento de contactos.

"Não podemos decidir onde investir e o que investir", sublinhou.

Aliás, acrescentou, mesmo o fundo soberano norueguês é independente para tomar as suas decisões sobre os investimentos que realiza, investindo "em bons projetos por todo o mundo".

"É um fundo muito grande, estão a investir em Portugal e em outros países do mundo, mas também cada vez mais em novas oportunidades de negócio fora da Europa", referiu.

Mas, insistiu, o executivo não pode antecipar as suas decisões, porque eles são independentes para as tomar.