O homem de 73 anos detido na quinta-feira em Lapa do Lobo, no concelho de Nelas, depois de ter sequestrado um outro, de 71 anos, ficou obrigado a apresentações semanais às autoridades, disse à agência Lusa fonte da GNR.

Segundo a mesma fonte, além de ter de se apresentar todas as quartas-feiras às autoridades, está «proibido de contactar o ofendido e a sua família».

O homem esteve a ser ouvido durante a tarde de hoje no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Viseu.

Na quinta-feira, o comandante do destacamento de Mangualde da GNR, José Lopes, disse aos jornalistas que o sequestro terá ficado a dever-se «a uma dívida antiga, com cerca de 14 anos, que o sequestrador quis sanar».

Desde as 10:00 até pouco depois das 15:00, o homem de 73 anos «sequestrou na própria habitação» o outro homem, de 71 anos, ameaçando-o «com recurso a uma motosserra elétrica», explicou.

De acordo com José Lopes, o sequestrador fazia com que a vítima telefonasse ao genro «de maneira a transmitir a informação que pretendia».

«A exigência prendia-se com a entrega de 30 mil euros em dinheiro, por uma terceira pessoa da confiança do sequestrador», referiu.

O «engodo» para deter o sequestrador foi precisamente a indicação de que o dinheiro estaria no exterior da casa, onde acabou por ser detido, sem ter «qualquer hipótese de oferecer resistência».

O comandante explicou que a GNR foi «dilatando a situação no tempo, de maneira a permitir chegar os meios adequados para resolver a situação», nomeadamente uma equipa de negociadores e outra de intervenção de operações especiais. Juntamente com o dispositivo da GNR local, participaram na operação cerca de 30 militares, como recorda a Lusa.