A bolsa nacional segue a negociar em queda, em linha com as restantes praças europeias, com o sector financeiro a penalizar.

O índice PSI20 recua 0,34 por cento para os 6.039,23 pontos, com 10 das 20 empresas cotadas a negociarem em baixa, duas estáveis e oito em alta.

Na Europa, o dia também está a ser dominado pelas descidas, que variam entre 0,2% de Madrid e 1,27% de Paris, depois do fecho negativo de ontem dos mercados norte-americanos. As praças do velho continente estão a ser penalizadas pela primeira vez em seis dias, a reagir ao anúncio pelo American Express de um aumento dos incumprimentos nos cartões de crédito.

Além disso, esta terça-feira as atenções deverão centrar-se sobretudo na Alemanha e nos Estados Unidos, já que vai divulgado deste lado do atlântico, o índice de confiança dos investidores elaborado pelo instituto de conjuntura ZEW. Ao início da tarde será divulgado ainda o indicador mensal sobre a construção de casas naquela que é a maior economia do mundo.

Em Lisboa, a pressionar está a banca. O BCP recua 1,27% para os 0,62 euros, com a imprensa a avançar esta manhã que o grupo de Jardim Gonçalves está a disputar a liderança do Conselho Superior da instituição.

Ainda no sector, o BPI tomba 0,39% para os 1,52 euros e o BES desce 1,22% para os 5,62 euros, depois de ontem os accionistas do banco terem aprovado o aumento de capital em 1,2 mil milhões de euros. Esta terça-feira, o «Diário Económico» diz que a instituição liderada por Ricardo Salgado quer entrar no capital do banco da CGD e da Sonangol em Portugal.

Cimpor tomba em dia de resultados

Nas telecomunicações, a Zon Multimédia cai 1,16% para os 3,72 euros e a Sonaecom recua 0,57% para os 1,20 euros. Já a Portugal Telecom (PT) segue estável nos 5,84 euros.

Nota negativa ainda para a Jerónimo Martins que lidera as perdas ao ceder 1,84% para os 3,57 euros e para a Cimpor que desliza 1,05% para os 3,29 euros, no dia em que apresenta os seus resultados de 2008, após o fecho do mercado. Os analistas esperam uma quebra de 59% do lucro da empresa.

Do lado da energia, a EDP renováveis desce 0,51% para os 5,84 euros, mas a EDP trava maiores perdas ao valorizar uns ligeiros 0,03% para os 2,55 euros. Também a Galp soma 0,25% para os 8,75 euros, apesar da tendência de descida do petróleo nos mercados internacionais.

A impedir a bolsa de maiores descidas está ainda a Sonae SGPS que trepa 1,45% para os 0,48 euros e a Sonae Indústria que ganha 1,47% para os 1,37 euros.